Em março é comemorado o mês da mulher, e nele também se inicia a campanha do Março Lilás, onde se incentiva a prevenção e o diagnóstico do câncer do colo do útero.

A campanha tem a intenção de chamar a atenção das mulheres a respeito da importância de realizarem, periodicamente, os exames para a detecção precoce do câncer de colo de útero, pois esse é um dos tipos de câncer mais comuns entre as mulheres brasileiras.

Para a investigação deste tem-se o exame citológico, também conhecido como Papanicolau ou preventivo, sendo realizado com o intuito de se identificar lesões precursoras, e outras que possam indicar o desenvolvimento de um câncer do colo do útero.

Serve também como uma forma de prevenção devendo, este, ser realizado pelo menos uma vez ao ano.

E ainda pode ser realizado o teste de Schiller, que consiste na avaliação da coloração do colo uterino, após a distribuição homogênea de uma solução de lugol, indicando assim a presença ou ausência de alteração celular.

O papiloma vírus humano (HPV) é transmitido em contato pele com pele, sendo a transmissão sexual sua via mais comum de infecção. Uma média de 80% a 90% da população já teve contato com o vírus e não desenvolveram lesão, pois o mesmo pode ser eliminado do corpo sem manifestações clínicas.

Existem mais de 200 tipos desse vírus, e 150 deles já foram identificados e sequenciados geneticamente.

Catorze tipos são os precursores do câncer de colo de útero, garganta ou ânus, e 70% dessas lesões são causadas pelo tipo 16 e 18. Os tipos 6 e 11 também são comuns, porém são de baixo risco, causadores de verrugas gênitas.

Para a detecção da presença do HPV são realizados exames moleculares, que indicam a presença do vírus e também se ele é de baixo ou alto risco.

Os principais exames para a detecção do HPV são a captura híbrida, que é um teste semi-quantitativo que indica a presença do vírus, porém não indica qual é o tipo dele.

Para isso é realizado o exame de detecção e genotipagem do HPV, este é mais sensível e irá indicar qual o tipo do vírus o que auxilia no diagnóstico e permite a melhor avaliação e tratamento do paciente.

Texto escrito em conjunto pela Dr. Bianca Stefen (CRBM: 3368) e Dr. Kamila Vieira Velho (CRBM: 4504)

Os exames podem ser feitos no Laboratório Ceaclin. Veja onde encontrar:

Jaraguá do Sul:

  • Av. Mal. Deodoro da Fonseca, 1114, Centro | (47) 3275-0466
  • Rua Bertha Weege, 848 - Sala 01, Barra do Rio Cerro | (47) 3370-5010

Itajaí:

  • Rua Samuel Heusi, 463, Centro | (47) 3398-4766