Uma viagem no tempo: a história e tradição das padarias no Brasil

Por: Maria Luiza Venturelli

01/11/2022 - 13:11 - Atualizada em: 23/05/2024 - 11:23

De alimento à moeda de troca, os pães conquistaram um papel cada vez mais importante com o passar dos anos, se tornando indispensáveis na mesa de muitas pessoas, seja no café da manhã ou lanche da tarde. O alimento não surgiu no Brasil, mas as padarias tradicionais do país estão presentes em praticamente todos os bairros, trazidas por imigrantes portugueses.

As padarias e panificadoras surgiram no início do império romano, quando a arte de panificação era muito famosa e os pães eram um símbolo para comemorar ocasiões especiais, como casamentos e festas.

Foi assim que os padeiros se tornaram muito conhecidos e respeitados, produzindo pães em suas próprias casas, usando moinhos para moer os grãos. Depois, os pães eram vendidos pelas ruas.

Devido ao grande sucesso e procura da população por pães quentinhos para saborear, a prática de panificação começou a se espalhar rapidamente pela Europa e a demanda de entregas de pães em casas cresceu rapidamente, fazendo com que os padeiros sentissem a necessidade de abrir um a estabelecimento próprio, em que a população pudesse ir comprar os produtos.

Foto: Pixabay

Depois, surgiram as conhecidas padarias ao ar livre e escolas de padeiro, que formaram cada vez mais profissionais especializados na produção do pão, impulsionando a criação de diferentes receitas de pães, que até hoje tem toques especiais e variam em cada país.

No Brasil

Para o Brasil, os primeiros pães foram trazidos junto com os portugueses, na colonização. Naquele tempo, a iguaria era muito diferente e seguia os costumes da época, com uma massa mais escura e dura. Foram diversas padarias abertas pelos europeus, que deram o grande pontapé para que o mercado de padarias crescesse a cada ano.

As primeiras padarias do país surgiram em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A padaria que ficou conhecida como a mais antiga do Brasil é a Santa Tereza, localizada na região da Praça da Sé, em São Paulo, fundada em 1872.

Foto: Pixabay

Com o passar do tempo, novas receitas e diferentes versões de pães foram criadas e no início do século 20 a produção e o comércio começaram a se espalhar para outras regiões do país.

No passado, as padarias eram consideradas indústrias para os pequenos municípios. Além dos pães, tinham foco na produção de produtos como biscoitos, bolachas e muitos outros que eram vendidos nas regiões próximas. Investir na fabricação de bolachas e biscoitos era uma boa alternativa, pois os produtos não estragam facilmente. Muitas indústrias de hoje em dia surgiram de antigas padarias.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip), hoje no Brasil existem mais de 70 mil padarias, que são principalmente pequenas empresas familiares. Em 2021, o mercado de panificação e confeitaria faturou R$ 105,85 bilhões no país, um crescimento de 15,3% em relação a 2020.

Atualmente, cerca de 2,5 milhões de trabalhadores atuam no setor de panificação, sendo 920 mil com empregos diretos e 1,6 milhão de profissionais indiretos, de acordo com dados de 2020. Estima-se que 41 milhões de brasileiros entrem em padarias todos os dias para comprar pão, que é um queridinho na mesa do brasileiro, principalmente no café da manhã.

Foto: Pixabay

Se você estiver com vontade de comer um pão saboroso e quentinho, Jaraguá do Sul é o lugar ideal. As padarias do município têm especialidades e opções diferentes, mas todas cumprem o papel de proporcionar produtos de qualidade e sabor incomparável. Conheça algumas para visitar em setemelhores.com.

Notícias no celular

Whatsapp

Maria Luiza Venturelli

Jornalista apaixonada por contar histórias inspiradoras, formada pela Faculdade Ielusc