Um homem de 41 anos suspeito de cometer um estupro foi solto após ser preso em Guaramirim.

O caso foi registrado na noite desta sexta-feira (17), na rua Carlos Eccel, no bairro Corticeira.

A Polícia Militar foi chamada por uma moradora que ouviu gritos de socorro vindos da casa do vizinho.

 

 

De acordo com o delegado Augusto Brandão, titular da Delegacia de Polícia da Comarca de Guaramirim, o suposto autor e a vítima foram encaminhados para a Central Regional de Plantão Policial de Jaraguá do Sul.

Depois, a mulher de 31 anos foi levada por uma policial civil para o hospital, mas se recusou a fazer o exame para verificar se houve conjunção carnal.

“Então, o homem foi liberado porque não foi feito o exame e não há materialidade, não se comprova o crime”, comenta Brandão, ao ressaltar que o caso pode ainda ser verificado na Delegacia de Polícia da Comarca de Guaramirim.

A Central Regional de Emergências da Polícia Militar recebeu uma ligação de uma moradora dizendo que ouviu uma mulher pedindo socorro na casa do vizinho.

 

 

Uma guarnição foi enviada para o local e conversou com a autora da ligação.

Aos policiais militares, ela relatou que a filha adolescente percebeu uma movimentação estranha na casa ao lado, que ouviu uma mulher pedindo socorro.

Em seguida, a menor teve a impressão de que a pessoa estava sendo sufocada e que a voz estava sendo abafada.

A guarnição foi até a residência e foi atendida pelos suspeito. Ele se recusou a abrir a porta.

Por uma fresta na parede, um dos policiais militares viu uma mulher aparentemente desorientada no interior da casa.

Eles arrombaram a porta e entraram na casa. Os PMs encontraram uma mulher de 31 anos com diversas marcas no pescoço.

Após ser acalmada, a vítima relato que foi visitar o amigo.

Após ingerir bebida alcoólica, o homem teria agarrado a vítima pelo pescoço e a teria forçado a manter relações sexuais.

Diante do relato, os policiais militares prenderam suspeito.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre segurança pública da região (acidentes de trânsito, ações policiais):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança