Por Claudio Costa e William Fritzke
Vítima de assassinato, Roseli Aparecida dos Santos Machado, 29 anos, foi sepultada no cemitério do bairro Nereu Ramos, em Jaraguá do Sul, na tarde desta segunda-feira (27). Ela foi velada na Capela Mortuária da Vila Lenzi. Roseli deixa duas filhas. O crime foi registrado na noite deste domingo (26), às 21h24, na rua Das Palmeiras, no bairro Tifa Martins. Roseli foi morta pelo ex-marido, Severino Machado, a golpes de faca - pelo menos sete - na região do tórax. Segundo a polícia, Severino teria se matado na manhã desta segunda.
Segundo relatos de familiares e conhecidos para a delegada Milena da Rosa, responsável pelo caso e titular da DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso), durante a tarde Severino teria pego a filha do casal. Ele tinha esse direito desde que se separaram há oito meses, depois de um casamento de sete anos. A tarde, antes do crime, o homem teria ingerido bebidas alcoólicas, segundo relatos de testemunhas para a Polícia Civil. A noite, por volta das 21h20, foi até a casa de sua ex, na Rua das Quaresmeiras, esquina com a rua das Palmeiras, no bairro Tifa Martins, para devolver a filha, mas diferentemente das outras vezes, pediu para que a criança ficasse no carro.
Severino entrou, demorou, e ao retornar contou para a crianças de apenas quatro anos que teria encontrado a mãe morta em casa. Suas mãos estavam sujas de sangue, resultado de sete golpes de faca desferidos contra o abdômen da mulher, que foi encontrada envolta de sangue na sala da casa pela Polícia Militar.
-
-
Ao sair do local, o homem ligou pedindo para um amigo buscar sua filha relatando que tivera problemas. O amigo buscou a criança e sem saber o que tinha ocorrido, a levou até a casa da mãe, momento em que a mesma entrou em casa e viu  mãe morta. Ele mesmo chamou a polícia, que foi até o local constatando a situação. A partir daí, iniciaram as buscas para encontrar o autor.
Segundo relatos da delegada, ele estaria descontente com o pedido de divórcio que a mulher teria feito há uma semana. Pela manhã, uma equipe da Polícia Civil recebeu informações de um familiar do autor relatando que ele havia cogitado se suicidar. Buscas começaram a ser feitas nas proximidades da casa do suspeito, que ficava a menos de um quilômetro do local, na rua Irmão Leandro, sendo que durante a manhã, o corpo foi encontrado já com rigidez cadavérica, pendurado em uma árvore. Tudo indica que ele tenha se suicidado durante a madrugada.
Crime poderia ter sido evitado
Segundo a delegada Milena, o inquérito será concluído e será extinta a punibilidade pelo fato do homem ter morrido. Ela acredita que a dupla tragédia poderia ter sido evitada. “Recebemos informações de uma parente próxima, de que ela já tinha sido ameaçada de morte por ele algumas vezes, porém, nunca efetuou nenhum registro com ele. Se tivesse registrado, poderia ter ganho uma medida protetiva e esse crime talvez teria sido evitado” afirmou Milena, ressaltando a importância da denúncia em casos como esses.
Caso ele não tivesse sido encontrado morto, ainda na manhã desta segunda-feira (27) um pedido de prisão preventiva teria sido expedido. Os vizinhos, que preferiram não se identificar, relataram que não conheciam o homem e que Roseli parecia ser uma pessoa tranquila.
Número de registros aumentou
Segundo Milena, em 2017 houve mais registros de agressões à mulher no mesmo período do que em 2016. Em 2016 foram 498 casos, contra 564 nesse ano. “Esse aumento não significa diretamente que mais homens estão agredindo mulheres, mas que cada vez mais, elas estão tomando coragem de denunciar” concluiu.