Vítima de um atropelamento, a ciclista Terezinha Rossi, 44 anos, está sendo velada na Capela Mortuária no bairro Nereu Ramos, em Jaraguá do Sul, nesta quarta-feira (9). O sepultamento acontece às 17h, no Cemitério no mesmo bairro. Ela morreu no hospital São José, por volta das 16h desta terça-feira (8). Terezinha foi atingida por um veículo no quilômetro 74 da BR-280, nas proximidades do Condomínio Dante Minel, por volta das 11h30. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a motorista do HB 20, com placa de Jaraguá do Sul, disse que a ciclista fez uma manobra de zigue-zague e caiu sobre a via. A vítima foi atendida pelos bombeiros voluntários e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) com traumatismo craniano grave, além de ferimentos nos braços e nas costelas. Terezinha foi levada inconsciente para o hospital pelo Samu. Segundo o setor de marketing do hospital São José, a vítima chegou na unidade sem identificação, mas foi reconhecida por parentes durante a tarde. Ela morava no bairro Nereu Ramos e deixa enlutados o esposo, duas filhas, um filho e uma neta. Segundo dados da Polícia Militar, a embriaguez é a quarta maior causa de acidentes em Jaraguá do Sul. Como agir em caso de acidente:
Procedimentos no local: 1 – Verifique quantas vítimas estão envolvidas no acidente; 2 – Sinalize o local para evitar novos acidentes. Utilize triângulos e pisca-pisca do carro ou de outros veículos; 3 – Chame o socorro especializado. Informe o local exato e a descrição das vítimas (homens, mulheres, crianças, idade, sexo, ferimentos visíveis). Os telefones de emergência são: 193 – Bombeiros Voluntários: para fazer o resgate; 190 – Polícia Militar: para registrar a ocorrência no caso de acidentes com vítimas; 198 – Polícia Militar Rodoviária (no caso de acidentes em estradas estaduais); 191 – Polícia Rodoviária Federal (no caso de acidentes em estradas federais). Procedimentos com a vítima: 1 – Mantenha a calma. 2 –Jamais faça a vítima saber qual a extensão real dos ferimentos; 3 – Evite contatos diretos com o sangue ou fluídos orgânicos da vítima; 4 – Evite mover a vítima. Só o faça se houver perigo de agravamento, como no caso de incêndio no veículo; 5 – Durante a remoção, procure evitar que a vítima se mexa, mantenha a posição original até chegada de socorro especializado. Mover uma pessoa acidentada é extremamente complicado e requer o uso de várias técnicas de imobilização.