A agenda de campanha de Tarcísio de Freitas (Republicanos), candidato ao governo de São Paulo, no Polo Universitário de Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (17), foi interrompida após tiroteio na comunidade.

Tarcísio estava no terceiro andar do prédio quando o tiroteio começou do lado de fora. Ainda não se sabe a origem dos tiros nem contra quem foram disparados.

Tarcísio deixou o local cerca de 20 minutos depois, acompanhado de seguranças e escolta em uma van.

Nas redes sociais, ele alegou ter sido atacado e disse que um suspeito foi baleado. A polícia, entretanto, não confirma as informações.

"Em primeiro lugar, estamos todos bem. Durante visita ao 1° Polo Universitário de Paraisópolis, fomos atacados por criminosos. Nossa equipe de segurança foi reforçada rapidamente com atuação brilhante da @PMESP. Um bandido foi baleado. Estamos apurando detalhes sobre a situação", disse ele em postagem no Twitter.

 

Questionado sobre o episódio durante um evento com jornalistas em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que ainda é prematuro dizer se houve um ataque à equipe de Tarcísio.

 

"Recebi um telefonema do Tarcísio, algumas imagens também. Tudo é preliminar ainda, eu não quero me antecipar. Se foi uma ação contra a equipe dele, se foi uma ação isolada, se algum conflito já estava havendo por haver na região. Então seria prematuro eu falar sobre isso" , disse Bolsonaro.

Fonte: G1