Em conjunto com forças policiais da Capital e órgãos da administração municipal, a Secretaria de Segurança Pública da Prefeitura de Florianópolis participou na manhã desta quarta-feira (12) da Operação Fio Desencapado.

O objetivo é combater o crime de receptação de itens provenientes de furto, como: cabos de comunicação, fios, placas de sinalização de trânsito, hidrômetros, peças de arte, esculturas, entre outras além de fiscalizar a regularidade destes comércios em relação as questões ambientais e de saúde pública.

"O furto de metais por viciados e moradores de rua está impactando a segurança da cidade. Nesta operação, com o envolvimento de todas as forças policiais e fiscalizações da prefeitura de Florianopolis, atacamos o coração desta dinâmica criminal, fechando quem compra irregularmente este material", explica o Secretário de Segurança Pública, Araújo Gomes.

Dados parciais da Operação

Em um dos ferros velhos, a Susp lavrou dois autos de infração e a Floram emitiu 1 auto. No local, um indivíduo foi encaminhado para a Central de Polícia por crime de furto de energia e receptação.

Em outro ponto, na Rua Desembargador Mileto Tavares, no Monte Cristo, a Floram lavrou um auto de infração. Também foram apreendidos 8 botijões de gás, fios elétricos, fios telefônicos, cabos de telefonia, 1 hidrômetro e fios elétricos diversos. Ainda foi lavrado um auto de prisão em flagrante de uma mulher por crime de receptação.

No Morro da Caixa, um homem foi preso por receptação de cabos de energia e reatores de iluminação pública. Ele já havia sido detido pela Polícia Civil anteriormente por crime de furto.

 

 

A Floram atuou emitindo autos de infração por falta de alvará de funcionamento e por excercício de atividade sem licenciamento ambiental.

Cerca de 200 profissionais, entre agentes de polícia e fiscais, foram divididos em sete equipes interinstitucionais para fiscalizar os pontos mapeados previamente, na região Continental e Ilha com base em um trabalho de mapeamento feito pelas Polícias Civil, Militar, Rodoviária Federal e Guarda Municipal ao longo de quatro semanas.

Participaram da operação: Guarda Municipal de Florianópolis (GMF), Superintendência de Serviços Públicos (Susp), Vigilância Sanitária do município (Visa), Floram, Secretaria do Meio Ambiente, e do Continente, Polícias Militar e Ambiental, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Celesc.