Vídeo: Vítima de agressão, mulher finge pedir pizza em ligação para pedir socorro à PM

Foto: @gm.pvai / Reprodução OCP News

Por: Priscila Horvat

21/06/2024 - 15:06 - Atualizada em: 21/06/2024 - 15:36

Uma mulher, vítima de violência doméstica, utilizou de um meio inusitado para pedir socorro aos militares.

O caso aconteceu no último domingo (16), em Paranavaí, cidade do Noroeste do Paraná.

Segundo informações divulgadas pela Guarda Municipal, a mulher ligou para o número de emergência para pedir uma pizza.

Embora esse seja um código conhecido por vítimas de agressores, o operador informou que o número era da emergência.

A mulher confirmou que sabia desse fato e gostaria de fazer um pedido de pizza.

Percebendo que poderia ser um pedido do socorro, o operador ainda fez outra pergunta, para confirmar a situação.

Ele orientou que, se a vítima estivesse sendo agredida, que ela falasse que queria uma pizza com recheio.

A solicitante, então, respondeu que queria uma pizza com muito recheio.

De imediato, ele direcionou uma viatura para o endereço indicado.

Enquanto a equipe se deslocava até o local, o agressor tomou o celular da mulher.

Minutos antes, o filho do casal, de 11 anos, conseguiu pegar o celular e continuar na linha, falando com o operador.

O menino disse que ia esperar a pizza e ficou do lado de fora de casa.

Quando a guarnição chegou, questionou a criança sobre o paradeiro do agressor.

O menino informou que o pai estava dentro de casa, agredindo a mãe.

Os guardas entraram na casa e abordaram a vítima, que estava ofegante e chorando. Ela relatou ter levado chutes e socos.

Nas imagens, é possível observar que o homem estava sentado no sofá da sala quando os militares chegaram.

A mulher informou que tentou denunciar o agressor em outras ocasiões, mas ele sempre fugia antes da chegada dos policiais.

Para evitar que isso acontecesse novamente, ela teve a ideia de dizer que pediria uma pizza após ver relatos de situações semelhantes pela televisão.

O homem recebeu voz de prisão e encaminhado à Delegacia de Polícia.

Lá, ainda foi constatado que havia uma medida protetiva de urgência contra o autor.

A solicitante relatou que o ex-companheiro descumpriu a ordem de restrição e afastamento por inúmeras vezes, mas que ela não tinha forças para tirá-lo da residência.

Ele foi detido pela quebra da medida protetiva e por violência doméstica.

A gravação da abordagem foi registrada por uma câmera particular acoplada na farda do militar.

Se você precisar de ajuda, ou quiser denunciar um agressor, entre em contato com a Central de Atendimento à Mulher, através do número 180 ou pelo email ligue180@mdh.gov.br. O atendimento está disponível 24 horas por dia, todos os dias da semana, e é gratuito.

 

Notícias no celular

Whatsapp