Um homem apontado como chefe de um esquema de tráfico de drogas em Santa Catarina ostenta uma vida de luxo. Ele foi um dos alvos da Operação Pedra Branca, desencadeada nesta sexta-feira (10) pela DRE (Delegacia de Repressão a Entorpecentes) da Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais).

A operação iniciou ainda na quinta-feira (9), na região de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, onde o alvo principal ocupava uma mansão de luxo junto com a família. A equipe prendeu a mulher do traficante.

O traficante também mantinha uma residência de alto padrão na Cidade Universitária Pedra Branca, na Palhoça. A localização da residência acabou inspirando o nome da operação. Após diversas apreensões em Santa Catarina, o criminoso se mudou para o Rio de Janeiro, onde morava no bairro Recreio dos Bandeirantes. O homem continua foragido.

Além das residências de luxo, o traficante tinha vários carros de luxo. Ele costumava comprar os veículos com dinheiro em espécie. Um dos automóveis, um Audi R8, é avaliado em R$ 1,6 milhão.

A investigação começou em 2019, quando a equipe da DRE realizou uma operação que resultou na descoberta de um laboratório de produção de drogas sintéticas na praia da Pinheira, em Palhoça, na Grande Florianópolis. Naquela ocasião foram apreendidos diversos equipamentos e insumos para a produção de comprimidos de ecstasy, matéria prima “MDMA”, e foram presas três pessoas. Foi então que se identificou o fornecedor.

Foto: PCSC/Divulgação

De acordo com o delegado da DRE, Cláudio Monteiro, o objetivo da operação é desarticular uma quadrilha responsável por grande parte do tráfico de drogas no Estado de Santa Catarina (cocaína e droga sintética), com repercussão em outros Estados, principalmente no Rio de Janeiro.

A operação começou continuou nesta sexta-feira (10) para cumprir 14 mandados de busca e apreensão e sete mandados de prisão. As buscas são em municípios da Grande Florianópolis, além de Itajaí, Balneário Camboriú e Blumenau.

Até o momento houve seis prisões, armas e dinheiro foram apreendidos. Ao longo da investigação, houve várias apreensões de drogas e prisões que estão relacionadas.

Todas elas estão vinculadas à operação “Pedra Branca” e ao fornecedor de drogas identificado como responsável pela organização criminosa investigada e dono da droga e dos valores apreendidos. Diversos outros homens presos nesta operação foram apontados como integrantes do grupo criminoso.

Apreensões ao longo da investigação

Levantamentos de inteligência e diligências de acompanhamentos foram feitos pela Polícia Civil. Ao longo deste trabalho, houve várias apreensões em outras operações. Em uma das oportunidades, a equipe realizou nova operação, com a descoberta de outro grande laboratório de produção de drogas sintéticas e também de preparação de malas com cocaína no bairro Capoeiras, em Florianópolis. Naquela ocasião foram apreendidos diversos equipamentos e grande quantidade de cocaína e ecstasy e dois homens foram presos.

 

Em uma outra operação, da Polícia Militar, desta vez no bairro Pedra Branca, em Palhoça, houve a apreensão de uma grande carga de cocaína e crack, cerca de 300Kg, em um galpão, e na sequência em uma residência também foram encontrados outros equipamentos para produção de drogas sintéticas.

Foto: PCSC/Divulgação

Também havia material insumo, contabilidade do tráfico de drogas, e em buscas em mais dois apartamentos foram apreendidos valor de aproximadamente R$ 8 milhões em espécie entre reais e dólares americanos, sendo presos mais dois homens ligados ao núcleo criminoso.

Uma outra ação desencadeada em Balneário Camboriú pela Polícia Civil, resultou na apreensão de cerca de 100 mil comprimidos de ccstasy e aproximadamente R$ 900 mil em espécie, com presos diversos envolvidos, sendo um deles especificamente associado ao núcleo criminoso em destaque.

E em agosto deste ano, após acompanhamentos, a equipe da DRE/DEIC realizou a abordagem de um caminhão que iria para o Rio Grande do Sul, resultando na apreensão de cerca de 75 quilos de cocaína, restando preso mais um homem associado ao núcleo criminoso.