Tia que torturou sobrinho até a morte é condenada a 90 anos de prisão em SC

O Conselho de Sentença acatou a tese apresentada pelo promotor de Justiça Albert Medeiros Karl | Foto: MPSC/Divugação

Por: Claudio Costa

18/03/2023 - 10:03 - Atualizada em: 18/03/2023 - 10:59

Na quinta-feira (16), o Tribunal do Júri da Comarca de Ponte Serrada julgou um crime que chocou a comunidade.

Após denúncia do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), a tia que torturou o sobrinho de dois anos até a morte foi condenada a 90 anos de reclusão.

A mulher também foi sentenciada por torturar os outros quatro sobrinhos, irmãos da vítima, que tinham entre dois e 10 anos de idade. A pena deverá ser cumprida em regime inicial fechado.

O Conselho de Sentença acatou a tese apresentada pelo promotor de Justiça Albert Medeiros Karl e concluiu que a ré cometeu um homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima, além de praticar por cinco vezes o crime de tortura.

A condenada também deverá pagar R$ 20 mil a cada uma das vítimas a título de indenização.

“Com o fim deste segundo júri, finalmente a justiça foi feita na comarca de Ponte Serrada, com a condenação severa de ambos os tios que praticaram diversas atrocidades contra seus sobrinhos, inclusive a morte de um dos gêmeos de dois anos”, destaca o Promotor de Justiça.

Entenda o caso

Conforme a denúncia, entre dezembro de 2021 e início de março de 2022 – período em que a mãe das crianças deixou os filhos aos cuidados da ré e do marido -, a condenada, juntamente com seu companheiro, prevalecendo-se do poder e da autoridade que exerciam sobre as crianças, submeteram os cinco sobrinhos, de dois, cinco, sete e 10 anos, a intenso e constante sofrimento físico e mental.

De acordo com o apurado durante a instrução processual, eles desferiram inúmeras agressões contra as crianças, utilizando fio de TV, chinelo, sandália grossa, canos de PVC e cinto.

Os ataques ocorriam em razão das vítimas se sujarem de barro ao brincarem ao redor da casa e porque um dos gêmeos, de dois anos, apresentava dificuldades para fazer as necessidades fisiológicas no vaso sanitário.

Ainda, no início do mês de fevereiro de 2022, o homem machucou esse gêmeo, colocando-o de cabeça para baixo no vaso sanitário para que a vítima se afogasse, o que lhe causou fratura na perna esquerda.

Além disso, os tios privavam as vítimas de alimentação adequada, fornecendo, por diversas vezes, apenas arroz e feijão nas refeições, bem como obrigavam as crianças de 10 e sete anos a realizarem serviços domésticos forçados.

O marido da ré também amarrava as crianças em cadeiras e os amordaçava com fita isolante para não gritarem enquanto eram obrigados a assisti-lo agredindo um dos gêmeos de dois anos.

No dia 5 de março de 2022, por volta das 19h, a ré desferiu diversos chutes, tapas, socos e chacoalhões, o que resultou na morte do gêmeo que tinha dificuldade de utilizar o banheiro.

Condenação do tio

Em dezembro de 2022, o tio foi condenado a 50 anos de reclusão – somadas as penas pelas torturas cometidas a cada uma das vítimas -, em regime inicial fechado. O homem também foi sentenciado a pagar R$ 20 mil para cada vítima, a título de reparação pelos danos causados.

Os crimes de tortura praticados por ele também foram julgados pelo Tribunal do Júri da Comarca porque foram conexos ao homicídio praticado pela esposa, mas como houve a cisão do processo, os dois foram julgados em sessões diferentes.

Cabe recurso da sentença, mas, após manifestação oral do Promotor de Justiça em plenário de ambos os júris, foi acolhido o requerimento de manutenção da prisão preventiva dos condenados, para que não recorram da sentença em liberdade.

 

Notícias no celular

Whatsapp

Claudio Costa

Jornalista pós-graduado em investigação criminal e psicologia forense e pós-graduando em perícia criminal.