A partir do próximo fim de semana, o OCP vai contar com um novo colunista de Segurança Pública.

O comandante da 12ª RPM (Região de Polícia Militar), tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, vai escrever quinzenalmente sobre temas de interesse de toda a comunidade.

 

 

O oficial afirma que ficou lisonjeado pelo convite feito ainda no mês de maio pelo conselheiro editorial do OCP, Nelson Pereira.

Reisdorfer destaca o importante papel que desempenha no comando da região que engloba dois batalhões e oito cidades.

Porém, ele acredita que o período de dois anos à frente do 14º Batalhão de Polícia Militar, que faz parte da 12ª RPM e também tem sede em Jaraguá do Sul, foi o que acabou motivando essa oportunidade.

“Isso nos habilita, nos abre uma janela, nos dá a oportunidade de falar da Polícia Militar, das ações de polícia ou da segurança pública de uma forma geral. Tudo isso da boca de um policial militar que está há 28 anos na corporação, que também passou por diversas situações operacionais em Joinville, seja nos 11 anos de 8º Batalhão de Polícia Miliar ou nos 10 anos a bordo do helicóptero Águia. Ali, eu pude ver a segurança pública sobre vários aspectos”, destaca.

Nos textos que vão estampar as edições impressas do jornal centenário, Reisdorfer vai trazer sua experiência nas missões de resgate ou em apoio a ações policiais em terra.

O tenente-coronel também vai falar sobre o sucesso da parceria entre a sociedade civil e a Polícia Militar em Jaraguá do Sul, essencial para a redução dos já baixos índices criminais na cidade.

De acordo com o oficial, um dos objetivos da coluna é falar de uma forma técnica e simples sobre os diversos aspectos que compõem o trabalho da Polícia Militar.

O oficial frisa que a PM é muito mais do que a viatura que realiza a ronda do bairro e que a população vê todos os dias na rua.

“A Polícia Militar é algo muito complexo. Nós podemos abordar a legislação, o que a Polícia Militar pode fazer e quais ações ela empreende no campo preventivo. Essa vai ser mais uma ferramenta que vamos ter para conversar com a comunidade sobre polícia. Aqui eu vou poder falar sobre as minhas experiências para que as pessoas entendam a corporação a qual eu sirvo”, finaliza.

Oficial operacional

Foto: Fábio Junkes/Arquivo OCP News

Primeiro da turma de oficiais da Polícia Militar de Santa Catarina de 1996, o tenente-coronel é formado em Marketing e pós-graduado em Administração de Segurança Pública, ambas pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

Após cumprir o estágio na Operação Veraneio em Balneário Camboriú, o então aspirante a oficial foi trabalhar no 8º Batalhão de Polícia Militar, em Joinville, em 1997.

No 8º BPM, Reisdorfer assumiu as funções de oficial externo, chefe do Setor de Trânsito, relações públicas e comandante do Pelotão de Paramédicos.

Em 2005, Reisdorfer foi para a Força Nacional. Após fazer os cursos de nivelamento, o oficial passou a ministrar aulas de APH Tático (Atendimento Pré-hospitalar Tático) na própria Força Nacional.

Em 2007, ele foi para os Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro, onde coordenou uma equipe de resgate tático durante cinco meses.

Depois, voltou para o 8º BPM e comandou o Grupo de Resposta Tática (GRT), precursor do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT).

Também ministrou aulas de APH Tático em Portugal e para as polícias militares do Paraná e São Paulo.

Após voltar da Força Nacional, o oficial fez um curso de piloto no Aeroclube de Blumenau.

A intenção de Reisdorfer era realizar um sonho pessoal, mas foi convidado em setembro de 2008 pelo então capitão Nelson Henrique Coelho para compor a equipe do Águia 1, na época Graer (Grupo de Radiopatrulhamento Aéreo).

Em 2018, Reisdorfer sai da 2ª Companhia do Batalhão de Aviação da Polícia Militar.

O tenente-coronel assumiu o 14º BPM e marca sua gestão com mudanças nas estratégias de policiamento e com quedas sistemáticas nos índices criminais.

Em março deste ano, ele deixa o 14º BPM e assume o comando da 12ª RPM.

Recentemente, Reisdorfer terminou o CSPM (Curso Superior de Polícia Militar) em primeiro lugar entre os 23 oficiais participantes.

O curso é pré-requisito para que os tenentes-coronéis recebam a patente de coronel.