Após dois anos no comando do 14º Batalhão de Polícia Militar (14º BPM) e 37 anos de serviço, 30 deles dedicados à PM, o tenente-coronel Gildo Martins de Andrade Filho sai do posto de comando do policiamento na região de Jaraguá do Sul para ingressar na reserva com a sensação de dever cumprido.

O oficial deixa a direção da unidade na próxima segunda-feira (19), quando o tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer assume.

Andrade afirma categoricamente que o 14º BPM, se não é o melhor, é um dos melhores batalhões do Estado em termos de estrutura, efetivo, equipamentos e convênios.

“Eu já assumi em uma condição muito interessante. Só que há tempo de semear e tempo para colher. Então, não podemos nos preocupar apenas em colher. Se a gente colher e não semear, não há colheita depois”, argumenta.

Durante o biênio, o tenente-coronel buscou conversar com os prefeitos de Jaraguá do Sul, Guaramirim, Massaranduba, Corupá e Schroeder com a finalidade de firmar novas parcerias para o fortalecimento do policiamento ostensivo na região em que o 14º BPM atua.

“Negociei o convênio de doação na conta de água, que já deve estar em funcionamento em Jaraguá do Sul. Também convênios para que pudéssemos arrecadar recursos com os empresários”, frisa.

Fiscalização de alvarás

Com viés estratégico, o comandante do batalhão costurou com os cinco municípios um acordo que deu à Polícia Militar poder de fiscalizar alvarás, atuação de vendedores ambulantes, código de posturas e outras atribuições que antes eram apenas responsabilidade dos setores das prefeituras.

A autorização ampliou o poder de verificação de questões antes delegadas apenas aos órgãos municipais, o que facilitou a atuação dos policiais militares sobre situações que precisavam do acompanhamento de servidores municipais.

“Os policiais militares chegam em um bar que só dá problema no sábado e domingo. Ele só fechava o bar por ter quebrado a ordem pública, em razão da desordem e outras questões. Com o poder de polícia dado pela Prefeitura, o policial pergunta primeiro se há o alvará. Se não há, o bar está fechado e se dá um prazo para regularização", explica.

Segundo o comandante, no dia seguinte outra guarnição verifica se houve o andamento. "Se o bar estiver aberto e não houver o encaminhamento, é feito um termo circunstanciado por desobediência”, complementa.

Andrade reforça que, se o estabelecimento é fonte de problemas relacionados a brigas, uso de drogas, tráfico, desordem ou mesmo prostituição, os policiais militares podem fechar o bar.

Com isso, há a resolução imediata de um problema que poderia ocasionar outras ocorrências e um novo chamado feito à Polícia Militar.

Ao ilustrar a atuação, ele observa que esses problemas são mais recorrentes em Jaraguá do Sul e Guaramirim, mas assegura que a fiscalização é feita com a mesma atenção nos outros municípios da região.

Novas viaturas e equipamentos

As tratativas feitas pelo tenente-coronel com o Executivo não se limitaram apenas à arrecadação de recursos e ampliação das atividades desempenhadas pela Polícia Militar.

O oficial também tratou de buscar soluções para a melhora das condições de trabalho dos policiais militares que garantem a segurança da população das cinco cidades atendidos pelo batalhão.

Através do convênio de trânsito, resultante de uma porcentagem da arrecadação de multas nos municípios, está buscando a renovação da frota de viaturas.

Ao assumir a gestão do batalhão, o comandante estima que a frota da PM na região contava com 45 viaturas, muitas sem condições de uso e outras encostadas em oficinas.

“Em 2016, nós gastamos cerca de R$ 500 mil em manutenção. No ano passado, quando eu dei um basta, nós ficamos com pouco mais de 20 viaturas, 15 foram mandadas para serem leiloadas e as outras, que ainda estavam em condições de operação, nós repassamos para municípios que precisavam mais. Num primeiro momento, nós tivemos um baque, por causa da operação Veraneio e outras viaturas nas oficinas. Hoje, nós estamos com 20 e estamos comprando mais dez. Outras cinco irão embora. Então, somarão”, calcula.

Em 2017, a Prefeitura de Jaraguá do Sul adquiriu sete Ford Ecosport para a Radiopatrulha e 12 novas motocicletas para as Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas.

Outros dez carros estarão na frota neste ano. Em Guaramirim, Schroeder, Massaranduba e Corupá estão em curso a troca das viaturas antigas em um misto de compras feitas com recursos do convênio de trânsito e do governo do Estado.

Outras parceiras para compra de viaturas e de armamentos foram feitas com os municípios da região.

Com a economia, é possível a renovação sistemática da frota com os recursos economizados com a manutenção dos veículos e, desse modo, a melhoria da qualidade do policiamento em todas as cidades atendidas pelo 14º Batalhão de Polícia Militar.

“Nós não temos como dar aumento de salário porque é uma política estadual, mas dando qualidade para o atendimento, o policial se sente motivado, porque ele está trabalhando com um fardamento novo, com armamento diferenciado, viaturas novas”, sintetiza o comandante, ao citar que a alimentação do efetivo é feita em um restaurante privado, com mais opções e controle da nutrição.

 

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?