Tecnologia e inteligência foram essenciais na prisão dos assaltantes de joalheria em Jaraguá do Sul

Helicóptero Águia 1 ajudou a monitorar o veículo usado na fuga | Foto: PM/Divulgação Helicóptero Águia 1 ajudou a monitorar o veículo usado na fuga | Foto: PM/Divulgação

Segurança

Por: Claudio Costa

sábado, 10:06 - 30/03/2019

Claudio Costa

A prisão dos três homens que assaltaram a joalheria Paládio Simara, em Jaraguá do Sul, na manhã desta sexta-feira (29), mostrou o resultado do trabalho de inteligência aliado ao de tecnologia do 14º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Além da prisão, as joias levadas durante o assalto, com valor aproximado de R$ 45 mil, foram recuperadas.

O comandante do 14º BPM, tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, afirma que o caso desta sexta vem de uma linha de ocorrências violentas que foram bem conduzidas pela Polícia Militar, da qual fazem parte o homicídio na avenida Getúlio Vargas, em Jaraguá do Sul, e o latrocínio contra um motorista de táxi, em Guaramirim.

“Como nos dois crimes ocorridos anteriormente, nós tivemos uma resposta rápida na manhã desta sexta. Neste caso, nós identificamos rapidamente os dois veículos utilizados no crime, o utilizado na fuga do roubo e o utilizado na cobertura e abordado em Itajaí, com o uso das tecnologias disponíveis aos policiais do 14º Batalhão”, destaca.

Reisdorfer explica que as guarnições do 14º BPM estão nas ruas e têm o dever de realizar a repressão a qualquer crime, tanto os violentos como os de menor potencial ofensivo. O trabalho ostensivo, aliado às estratégias de inteligência e o uso das tecnologias, acabam trazendo bons resultados no combate ao crime, tanto na prevenção quanto na resposta a ações criminosas, como assaltos.

“Nós colocamos as radiopatrulhas e guarnições especializadas nas ruas, fazemos barreiras policiais como estratégias de prevenção. Lógico, quando eventualmente isso falha, nós nos fazemos valer de tecnologias que auxiliam no nosso trabalho, o que foi o caso desse assalto”, afirma.

Assaltantes com antecedentes

Samuel Barros dos Santos, Alef Gustavo da Silva e Isac Rocha da Silva foram presos por volta das 10h30 desta sexta, na BR-101, em Itajaí. Eles seguiam no sentido Sul da rodovia e foram abordados por guarnições do 14º BPM e da Companhia de Patrulhamento Tático (CPT) do 8º BPM, com apoio de guarnições do 1º BPM, do 25º BPM e do helicóptero Águia 1, da 2ª Companhia do Batalhão de Aviação da Polícia Militar.

Joias avaliadas em cerca de R$ 45 mil foram recuperadas | Foto:> 14º BPM/Divulgação

Dois dos detidos realizaram o assalto por volta das 8h30. Armados com um revólver calibre . 38 e uma pistola 9 milímetros, eles entraram na joalheria, trancaram os cinco funcionários no banheiro e depois começaram a pegar as joias dos mostruários. Durante a retirada dos itens, o alarme tocou e os bandidos fugiram em um Volkswagen Gol de cor branca. Depois, eles abandonaram o veículo no bairro Vila Lalau e seguiram com um Ford Ka rumo à BR-101.

“Eles abordaram duas meninas e, logo em seguida, colocaram todos dentro do banheiro. Um já começou a retirar as joias e, nesse meio tempo, disparou o alarme. Eles falaram pra gente ficar em silêncio, que nada aconteceria com a gente. A gente escutou o alarme, esperou um tempinho e saiu. A polícia já estava aqui na porta”, conta uma funcionária que não quis se identificar.

Trabalho conjunto

Prisão dos bandidos foi realizada por policiais lotados em Jaraguá do Sul com a ajuda de guarnições de outras cidades | Foto: PM/Divulgação

Logo após o roubo, os dois veículos utilizados no assalto (o de fuga e o de apoio) foram identificados pela Central Regional de Emergências (CRE). Logo em seguida, a CPT do 8º BPM e o helicóptero Águia 1, ambos baseados em Joinville, foram chamados para dar apoio para a ocorrência, que já contava com guarnições da radiopatrulha de Jaraguá do Sul e Guaramirim e com o monitoramento da Agência de Inteligência do 14º BPM.

“As informações geradas pelas tecnologias nos auxiliaram a formular uma possível rota de saída. Com o apoio do helicóptero Águia e a Companhia de Patrulhamento Tático e os batalhões de Itajaí e Navegantes, conseguimos fomentar um cerco. Temos que enaltecer o trabalho da CRE e da Agência de Inteligência do 14º Batalhão que, juntas, forneceram as estratégias de prisão dos assaltantes”, pondera, ao ressaltar que o chamado das unidades das cidades vizinhas foi rápido e possibilitou o sucesso da ação.

Quer receber as notícias no Whatsapp? 

 

×
close