Homicídios e roubos são crimes que preocupam a população das cidades brasileiras. Entretanto, mais uma vez, Jaraguá do Sul confirma seu título de município pacífico. Hoje, a cidade conta com o menor índice de assassinatos e assaltos no Estado entre as com mais de 100 mil habitantes. Nos primeiros sete meses do ano, a Delegacia de Polícia Civil registrou quatro ocorrências de homicídio na cidade. A taxa é de 2,4 assassinatos para cada 100 mil habitantes. Em Lajes, a segunda no ranking do Estado, o índice é de 3,2 homicídios para cada 100 mil habitantes. Em Brusque, a terceira, a taxa é de 4 assassinatos para cada 100 mil habitantes. Outro crime que aflige a comunidade, mas que também se mostra sob controle em Jaraguá do Sul é o roubo. A cidade registrou 65 ocorrências, ou seja, uma taxa de 38,9/100 mil habitantes. O município ficou à frente no ranking que inclui cidades como Brusque (com uma taxa de 55,6 ocorrências a cada 100 mil habitantes) e Blumenau (99,5 ocorrências a cada 100 mil habitantes). De acordo com o delegado Regional, Adriano Spolaor, além dos aspectos culturais, geográficos, sociais e econômicos, o trabalho integrado entre os órgãos de segurança faz com que o número desse tipo de ocorrência seja baixo. “Há uma grande participação da população através de denúncias. Também há a união entre os órgãos de combate ao crime (Polícia Militar, Polícia Civil, Ministério Público e Judiciário) e o combate efetivo ao tráfico de drogas, que, a meu ver, também diminui o número de assaltos”, explica Spolaor. Em dezembro de 2016, a Delegacia de Polícia Civil de Jaraguá do Sul ganhou a Divisão de Furtos e Roubos. Comandada pelo delegado Eric Uratani, a equipe trabalha diretamente com os dois crimes. “Essa divisão já fez prisões importantes e tem várias investigações em andamento. É uma divisão nova e ainda está começando o trabalho na cidade. Os efeitos dela são a médio e longo prazo, mas, já está contribuindo ativamente para a diminuição das ocorrências de roubo na cidade” revela Spolaor. Por Cláudio Costa para o Jornal O Correio do Povo