Suspeito de chefiar tráfico de drogas do PPC em SP é preso em Florianópolis

Foto: Divulgação / PM

Por: Luan Tamanini

06/09/2023 - 14:09 - Atualizada em: 06/09/2023 - 14:16

Um homem apontado como o chefe do tráfico de drogas do Primeiro Comando da Capital (PCC) no interior de São Paulo foi preso nessa segunda-feira (4) em Florianópolis após ficar nove meses foragido.

Conhecido como Fantasma – por ser discreto e não gostar de aparecer -, o homem de 37 anos foi preso durante uma operação conjunta dos Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaecos) de São Paulo e Santa Catarina, com apoio das Polícias Militares dos dois estados.

Segundo o Ministério Público de São Paulo (MPSP), a mulher de Fantasma também foi detida na ação. Além dos mandados de prisão, os policiais também cumpriram mandados de busca e apreensão e de sequestro de um veículo de alto valor, sendo apreendidos um documento falso, sete celulares e documentos.

Fantasma era procurado desde o início de dezembro de 2022, quando o Gaeco deflagrou a 1ª fase da Operação Onça Preta, que teve como objetivo desarticular o tráfico de drogas na região de Jaguariúna-SP. Ele conseguiu escapar do cerco policial e estava foragido desde então.

Na casa dele, os policiais encontraram R$ 135.678,00, que estavam divididos em pacotes com nomes dos comparsas, além de três livros sobre a história da facção criminososa.

Conforme o MPSP, dez pessoas já foram denunciadas na Operação Onça Preta. Elas responderão pelos crimes de organização criminosa, associação criminosa, tráfico de drogas e embaraço de investigações envolvendo organização criminosa. O caso resultou também em prisões em flagrante por tráfico de drogas e porte ilegal de armas de fogo.

A Operação Onça Preta contabiliza 14 buscas e apreensões, nove investigados presos cautelarmente, cinco prisões em flagrante, sequestro de quatro veículos de luxo (marcas Jaguar, Audi, Land Rover e Jeep) e a apreensão de mais de R$ 150.000,00 em dinheiro, além de grande quantidade de drogas, máquina de embalo de drogas, dois fuzis, duas pistolas, um revólver, celulares, documentos e outras provas.