O soldado Rafael de Almeida Silva, integrante o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) do 14º Batalhão de Polícia Militar, sediado em Jaraguá do Sul, participou da segunda edição do Curso de Ações Táticas Especiais (Cate) no Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM, em São José. As instruções começaram no dia 9 de outubro e terminaram nesta quinta-feira (9), com a solenidade de formatura e da comemoração de 12 anos do Bope. Durante a solenidade os formandos receberam o brevê específico do curso. Com o objetivo de homenagear os participantes da primeira edição do Cate, realizado em 2003, o comando da unidade entregou aos veteranos o brevê específico, que naquela época ainda não existia. O subcomandante do 14º BPM, o major João Carlos Benassi Borges Kuze. Na sede do Bope foi criada uma galeria dos “Cateanos”, onde foram confeccionadas placas com os nomes dos policiais militares que concluíram o Curso de Ações Táticas Especiais, dentre eles constam os nomes do major Kuze, do cabo Felipe dos Santos Rodrigues e do soldado Rafael, os três integrantes do efetivo do 14º Batalhão de Polícia Militar. Curso conta com alta taxa de desistência O curso contou com carga horária de 310 horas aula e tem como objetivo capacitar policiais militares para atuar na Companhia de Operações Especiais (COE) do Bope. Foram selecionados 40 policiais militares. Os PMs foram submetidos a provações técnicas e psicológicas. De acordo com a PM, o intuito é analisar suas capacidades cognitivas em situações de estresse, mas acima de tudo, selecionar o candidato com o perfil adequado ao atendimento de ocorrências de alto risco e à primeira intervenção de incidentes de altíssimo risco. Durante o período de 30 dias, os policiais militares estiveram diante das mais variadas situações de dificuldade. A maior parte dos participantes não conseguiu prosseguir no treinamento. Apenas 15 PMs finalizaram o curso, um deles foi o soldado Rafael.