Deputado quer manutenção dos serviços burocráticos do IGP de Joinville | Foto Divulgação
Deputado quer manutenção dos serviços burocráticos do IGP de Joinville | Foto Divulgação

A prestação de serviços do Instituto Geral de Perícia (IGP) de Joinville é uma das maiores preocupações do Deputado Estadual Fernando Krelling (MDB), que está semana se reuniu com o Diretor Geral do Colegiado de Segurança Pública de Santa Catarina, Cel. Flávio Graff, para discutir e tentar encontrar uma solução para a deficiência de pessoal do órgão responsável, entre outras atividades, pela emissão de Carteiras de Identidades  e documentações de veículos, uma vez que engloba a Ciretran e o Detran do município.

 

 Ouça a entrevista do deputado Fernando Krelling no podcast do OCP

Assine e receba novos conteúdos todos os dias

Apple Podcasts | Spotify |

Soundcloud

 

O problema se agravou a partir do momento em que o novo governo estadual não renovou os contratos de servidores terceirizados, responsáveis pelas atividades burocráticas do IGP. Com o fim da continuidade e a demanda crescente, moradores de Joinville têm esperado mais tempo do que o habitual para conseguirem seus documentos.

"O governo entendeu que havia alguma irregularidade nos contratos por conta de aditivos, e a nós reconhecemos que nesta mudança de gestão há que se ter cuidados. Mas solicitamos ao Cel. Graff que, enquanto não for finalizado a nova licitação, que se prorrogue os contratos, emergencialmente, por 90 dias, para atender a população", argumenta o deputado.

Krieling destacou que o custo dos terceirizados era de R$ 39 mil mensais e que o IGP de Joinville arrecada, só com a emissão de 2ª via de documentos, cerca de R$ 102 mil/mês. "Ele se paga e ainda sobra para outras atividades",, contabiliza o parlamentar.

De acordo com o deputado, o Cel. Graff se mostrou sensível ao pedido e prometeu levar a questão para o comando da Segurança Pública, assim como para o governador Carlos Moisés.

Mais câmeras de videomonitoramento

O  encontro com o Diretor Geral da SSP, porém, também teve notícias boas. Joinville contava com 42 câmeras de videomonitoramento analógicas, que dificultava uma visão mais precisa de ações nas ruas da cidade. Neste encontro com o Cel. Graff, foi anunciado o repasse de R$ 460 mil para a aquisição de 42 câmeras digitais, com visão 360°, o que amplia a capacidade de investigação dos agentes de segurança.

"Esse aporte vai ampliar a capacidade de segurança dos policiais com o uso da tecnologia", ressalta o deputado, que tem na prevenção e na segurança duas bandeiras de atuação na Assembleia Legislativa de Santa Catarina.