A Polícia Civil conclui o inquérito que investigava a morte do taxista da cidade de Içara, Paulo Eduilio Neves Marques, que foi encontrado morto em Morro da Fumaça. Dois homens acusados de subtraíram R$ 10.800 da vítima e o matarem foram presos. Conforme o delegado Ulisses Gabriel, a morte foi com um mata leão enquanto a vítima dirigia.

O caso

Chegou ao conhecimento da Polícia Civil de Morro da Fumaça que Paulo Eduilio Neves Marques, de 67 anos, conforme relato do filho, Tiago Zabot Marques, teria desaparecido, não sendo encontrado desde a manhã do dia 31 de março de 2021.

O veículo de Paulo, um Toyota Corolla, na época foi encontrado batido no Bairro Brasília, em Criciúma, com diversos objetos dentro, inclusive dois telefones celulares. No mesmo dia, por volta de 18h30 horas, existindo informações de que o mesmo veículo havia estado na Linha Cabral, em Morro da Fumaça, foram feitas diligências no local, encontrando-se Paulo Eduilio Neves Marques, com lesões no corpo e sem vida, tendo os pertences da vítima, como dinheiro e celular sido subtraídos.

Após investigações conduzidas pela Polícia Civil, com apoio do Instituto Geral de Perícias (IGP), foi identificado W. da S. B., 32 anos, como suspeito do crime. Diante disso, em 5 de maio, pouco mais de um mês depois do crime, a Polícia Civil representou pela prisão temporária do suspeito, tendo as investigações apontado que ele fugiu para o Estado de São Paulo e estaria internado em uma clínica em Itapecerica da Serra/SP. Após a troca de informações com a Polícia paulista prendeu o investigado.

Em continuidade às investigações, mais provas foram colhidas em parceria com o Ministério Público Estadual e se chegou no outro investigado, M. A. P., de 21 anos. Nesta quarta-feira, dia 7 de julho, foi decretada a prisão temporária de M. e a preventiva de W.

M. foi preso na manhã de hoje em Criciúma por policiais civis de Morro da Fumaça e Urussanga. Ele será interrogado para conclusão do inquérito policial.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp