Sargento da PM é velado em Joinville e será enterrado em Canoinhas

Sargento da PM é velado em Joinville e será enterrado em Canoinhas Sargento da PM é velado em Joinville e será enterrado em Canoinhas

Segurança

Por: OCP News Jaraguá do Sul

segunda-feira, 10:39 - 05/02/2018

OCP News Jaraguá do Sul
O sargento da PM Engelbert Rohrbacher, 40 anos, vítima de um acidente de moto na tarde desta segunda-feira (5), em Joinville, está sendo velado desde as 22h30, na capela Menino Jesus, localizada na rua São Clemente, no bairro Itinga. O velório acontece até as 5h desta terça-feira (6), quando o corpo será levado para o 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Depois, um cortejo segue para Canoinhas, no Planalto Norte de SC. O local, o horário do velório e o enterro ainda não foram confirmados. Rohrbacher morreu após ter a frente cortada por um Chevrolet Zafira na rua Monsenhor Gercino, no bairro Itaum, por volta das 14h, segundo a polícia. Com a batida, ele foi arremessado para a outra pista e atingido por um Ford Ka, que fazia o sentido contrário. Ele deixa enlutados a mulher e os três filhos. O sargento atuava atualmente no Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) de Santa Catarina em Joinville. Ele também fez parte por um período do 17º BPM, da cavalaria da PM e do 8º BPM. O major Ricardo Ribeiro, chefe de operações da 5ª Região de Polícia Militar (RPM), afirma que Rohrbacher era um policial muito bom, pai de família, muito atuante e que estava em Joinville desde o início da carreira. “Uma fatalidade esse deslocamento de moto que acabou ocasionando o acidente e ele morreu. Todo mundo está consternado. Vamos fazer as últimas homenagens para ele”, lamenta o major, que lembrou que o colega tinha mais de 20 anos de serviço. Para o comandante do 17º BPM, o tenente-coronel Luís André Viana, Rohrbacher era exemplar e digno de muitos elogios. “Um excepcional profissional que nos deixa. Um pai amoroso, dedicado, conhecido em Joinville. Uma perda muito grande para a família e também para a família policial. Já fui comandante dele em outras ocasiões e é uma perda lastimável. Estamos todos consternados”, conta Viana.
×