A 30ª edição da Schützenfest conta com poucas ocorrências nos anos anteriores graças ao esquema de segurança implantado na maior festa cultural de Jaraguá do Sul.

O coordenador de segurança da Comissão Central Organizadora (CCO) da festa e subcomandante do 14º Batalhão de Polícia Militar (14º BPM), major João Carlos Benassi Kuze, ressalta que 15 policiais militares serão destacados para cuidar exclusivamente da segurança da festa.

São cinco a menos do que em 2017, mas rotativamente poderão circular até 20 PMs no Parque Municipal de Eventos.

“Neste ano não vamos contar com os alunos do Curso de Formação de Soldados que atuaram na edição passada. Haverá menos policiais, porque esses alunos não vão atuar, mas teremos um incremento de PMs com experiência. Teremos um sargento e um auxiliar apenas para o controle da festa, cinco policiais orgânicos de Jaraguá do Sul, seis policiais de Joinville, um trio de cavalaria nos dias mais movimentados”, comenta o oficial.

Além dos policiais que vão cuidar exclusivamente da festa, policiais militares especializados também farão rondas no local. Guarnições do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT), do Canil Setorial e das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) estarão todos os dias na Schützenfest.

“O sargento externo também estará em contato direto com o comando do policiamento da festa e enviará reforços caso necessário”, afirma.

Outro ponto de destaque no policiamento é a guarda dos veículos estacionados no lado de fora da festa, na via pública. Guarnições da Rocam e da Radiopatrulha farão rondas específicas para verificar se há movimentação estranha nas proximidades dos veículos.

O trabalho é o mesmo dos anos anteriores e dá resultado. Segundo o subcomandante do 14º BPM, não foram registradas ocorrências de furto de veículos e objetos no interior dos automóveis na edição de 2017.

O major conta que o perfil da festa é familiar e que pessoas com ficha corrida e conhecidas das guarnições não costumam frequentar os pavilhões da festa.

Kuze revela que, geralmente, há eventuais usuários de drogas nos lugares mais retirados do parque e brigas movidas pelo consumo de álcool.

“Muitos desses casos têm sido controlados pelos seguranças já na chama inicial, o que nos dá um certo conforto”, lembra.

Mais segurança

Ao todo, serão contratados 40 seguranças nos dias de maior movimento e 25 nos outros dias. Profissionais armados atuarão na segurança direta dos valores arrecadados durante a festa. Outros vigilantes farão o trabalho nos pavilhões.

Eles também deverão atuar no controle de brigas. Se houver algum fator complicador no manejo da situação, a PM poderá ser chamada para dar apoio.

Mas, mesmo com o consumo de álcool, o major revela que o cidadão jaraguaense é muito ordeiro e costuma endossar o trabalho da Polícia Militar, buscando aproveitar a festa com muita responsabilidade.

“Estamos sempre preparados para o pior, mas a característica da festa é o eventual consumo de drogas nas partes mais afastadas do pavilhão e algumas brigas acentuadas pelo excesso de álcool”, relata.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?