Réus que torturaram jovem e fizeram ela cavar a própria cova vão à júri popular, decide Justiça

Por: OCP News Criciúma

29/08/2022 - 22:08 - Atualizada em: 29/08/2022 - 22:40

Os acusados de matar a jovem paranaense Amanda Albach, de 21 anos, vão ser julgados por um júri popular, decidiu a 2ª Vara de Imbituba.

Os três estão detidos preventivamente e respondem por homicídio qualificado por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima, cárcere privado, ocultação de cadáver e tortura. Os advogados do trio anunciaram que entrarão com recurso.

Amanda foi morta em 15 de novembro do ano passado e forçada a cavar a própria cova na praia de Itapirubá, entre Laguna e Imbituba. O corpo foi encontrado em 3 de dezembro após prisão dos suspeitos em uma cidade do Rio Grande do Sul, em investigação conduzida pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Laguna.

A jovem veio a Santa Catarina para passar alguns dias na casa de uma das rés e com os outros dois acusados, sendo um namorado da amiga e o outro o irmão. Um dia antes da morte, o grupo participou de uma festa em Jurerê Internacional, na Capital, e depois veio para Laguna, onde a paranaense foi mantida em cárcere privado por cerca de oito horas.

No último dia 11, a Justiça decidiu que Douglas e Victor Straccioni da Silva e Daiane Mayara Pasqual irão a júri em data a ser anunciada. Amanda deixou um filho de dois anos.

 

 

 

 

 

 

Com informações do Agora Laguna