Reportagem de Kamila Schneider para o jornal O Correio do Povo.  Pouco mais de duas semanas após a adoção das novas tarifas de gás natural em Santa Catarina, os consumidores já começam a notar a redução no preço do GNV (Gás Natural Veicular) nos postos de combustíveis. Em vigor desde o dia 1º de janeiro, a tarifa do gás sofreu redução média de 23,95% e pode impulsionar uma queda de até 10% nos valores repassados ao consumidor final. Em alguns postos de Jaraguá do Sul, como os da rede Mime, por exemplo, o preço do metro cúbico de GNV ficou até 10 centavos mais barato esta semana, ficando com preço médio de R$ 1,99. No ano passado, o preço médio praticado era de R$ 2,09, podendo chegar a R$ 2,20 em alguns postos da região. De acordo com o engenheiro do mercado automotivo da SCGás, Leonardo Condessa de Castro, historicamente, o gás natural apresenta o preço mais estável entre os combustíveis mais utilizados pelo consumidor. Enquanto o gás registrou duas quedas consecutivas no preço – a primeira de 17,8% em julho do ano passado e a segunda de 23,95% este ano –, a gasolina acumulou aumento de 3,3% em 2016 e atingiu o maior valor desde 2004 no Brasil, atingindo preço médio de R$ 3,77 na semana passada. “O preço das chamadas cestas de óleos, ou da comercialização internacional dos óleos, deu uma decidida, o que junto com a retração do dólar possibilitou um alívio nos custos da manutenção e da compra do gás”, explica Castro. Segundo ele, no caso do GNV, o repasse da redução ao consumidor depende do próprio mercado, que costuma praticar preços entre 5% e 10% mais baratos. “A tendência é que fique abaixo dos R$ 2 em todo o Estado”, exemplifica ele. De acordo com o responsável pelo pricing da rede de postos Mime, João Guilherme Murara, o GNV é uma opção mais eficiente, econômica e ambientalmente sustentável para os consumidores que buscam uma solução vantajosa. Segundo ele, a instalação do kit GNV tem custo que varia entre R$ 2 mil e R$ 4,5 mil, dependendo da geração tecnológica e do modelo do veículo, e costuma ser mais vantajosa para motoristas que rodam em média 100 quilômetros por dia. Segundo Castro, estudos indicam que, em alguns casos, o GNV chega a ser 50% mais competitivo do que outros combustíveis, sendo que agora, com a nova redução da tarifa, a economia pode ser de até 60% diante da gasolina, por exemplo. “Acredito que o valor se mantenha no patamar atual durante este ano, lembrando que o custo está atrelado ao dólar, que por enquanto tem mantido certo patamar de estabilidade”, avalia o especialista. Além da redução no preço do GNV, o gás também teve sua tarifa reduzida no segmento industrial, com queda de 24,8% nos preços, no segmento comercial, com baixa de 15,45%, e no segmento residencial (-11,62%). A estimativa é de que mais de 100 mil consumidores catarinenses serão beneficiados.