*Com informações da assessoria de imprensa A Secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul intensifica no mês de junho a vacinação contra HPV e meningite C para adolescentes. A ação é promovida pelo Programa Municipal de Imunização, em parceria com a Secretaria de Educação e escolas particulares, pois envolve adolescentes em idade escolar. A expectativa é de que sejam vacinados 7.700 adolescentes em Jaraguá do Sul. Para a proteção contra o HPV, a faixa etária das meninas é de 9 a 14 anos; para os meninos, de 12 a 13 anos. Para a proteção contra a meningite C, a faixa etária tanto para meninas quanto para meninos é de 12 e 13 anos. Para as escolas que aderiram à vacinação dentro do ambiente escolar, a proteção será oferecida nos próximos dias, até o fim do mês de junho, somente para os adolescentes cujos pais autorizaram a aplicação da dose. Há também a possibilidade de procurar a unidade de saúde mais próxima para a proteção contra o HPV e a meningite C. Nesse caso, a vacinação contra o HPV para meninos tem faixa etária ampliada para 11 a 14 anos (somente no posto de saúde). Para a vacinação contra a meningite C é necessária apenas uma dose da vacina. Já para o HPV, são necessárias duas doses. A segunda aplicação é feita seis meses após a primeira, devendo o responsável e o adolescente comparecer no posto de saúde para o reforço da vacina. Por que vacinar contra o HPV na adolescência? A vacinação contra o HPV na adolescência é fundamental para prevenir o contágio com o vírus. O Ministério da Saúde aponta que estudos mostram que a vacina tem eficácia muito maior nos adolescentes que ainda não foram expostos ao vírus, ou seja, que ainda não iniciaram sua vida sexual. O objetivo da vacinação é prevenir os cânceres de colo de útero, vulva, pênis, boca e orofaringe, além de verrugas genitais em ambos os sexos. Por que vacinar contra a meningite C na adolescência? Até 2016, a vacina contra a meningite C estava disponível apenas para crianças entre três meses e quatro anos. Porém a doença é identificada também, com frequência, entre adolescentes e apresenta rápida evolução, gravidade e letalidade, com potencial epidêmico. A  vacinação  de  adolescentes  proporciona  proteção  direta desses grupos etários e ainda estende a proteção a indivíduos não vacinados.