Um acidente envolvendo quatro veículos foi registrado na SC-350, no bairro Albertina, em Rio do Sul, na manhã deste sábado (19). Duas pessoas foram levadas pelo Corpo de Bombeiros Militar e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência para o hospital. Uma mulher que estava em um Fiat Idea, com placa de Atalanta, e o condutor de um Volkswagen Gol, com placa de Rio do Sul, foram socorridos e levado pelos bombeiros militares e o pelo Samu com ferimentos leves ao hospital. O motorista de um Fiat Uno, com placa de Rio do Sul, fugiu do local. O motorista de um Chevrolet Corsa saiu ileso do acidente. Os bombeiros espalharam cal na pista por causa da grande quantidade de óleo. Com informações e fotos do Diário Alto Vale O Brasil está na quarta colocação entre os países americanos mais violentos no trânsito, segundo a Organização Mundial de Saúde. São 23,4 mortes para cada 100 mil habitantes.
Como agir em caso de acidente:
Procedimentos no local: 1 – Verifique quantas vítimas estão envolvidas no acidente; 2 – Sinalize o local para evitar novos acidentes. Utilize triângulos e pisca-pisca do carro ou de outros veículos; 3 – Chame o socorro especializado. Informe o local exato e a descrição das vítimas (homens, mulheres, crianças, idade, sexo, ferimentos visíveis). Os telefones de emergência são: 193 – Bombeiros Voluntários: para fazer o resgate; 190 – Polícia Militar: para registrar a ocorrência no caso de acidentes com vítimas; 198 – Polícia Militar Rodoviária (no caso de acidentes em estradas estaduais); 191 – Polícia Rodoviária Federal (no caso de acidentes em estradas federais). Procedimentos com a vítima: 1 – Mantenha a calma. 2 –Jamais faça a vítima saber qual a extensão real dos ferimentos; 3 – Evite contatos diretos com o sangue ou fluídos orgânicos da vítima; 4 – Evite mover a vítima. Só o faça se houver perigo de agravamento, como no caso de incêndio no veículo; 5 – Durante a remoção, procure evitar que a vítima se mexa, mantenha a posição original até chegada de socorro especializado. Mover uma pessoa acidentada é extremamente complicado e requer o uso de várias técnicas de imobilização.