Na denúncia, o promotor Rafael Meira Luz cita a essencialidade dos serviços públicos, principalmente do setor de educação, e ressalta o descumprimento judicial por parte dos grevistas de decisão do Tribunal de Justiça do Estado. Entre os pedidos, a determinação para que os servidores em greve retornem aos trabalhos regulares no prazo de 24 horas, multa diária no valor de R$ 100.000,00 caso não seja cumprida a medida, bloqueio judicial dos bens do sindicato a fim de sanar a dívida e abertura de procedimento disciplinar para servidores efetivos em greve e exoneração para os comissionados. https://www.youtube.com/watch?v=dm69SbPBlJQ