A tragédia no município de Saudades, no Oeste do estado, só não foi maior graças às professoras da Escola Infantil Pró-Infância Aquarela, que trancaram o restante das crianças nas salas quando perceberam que a creche era alvo de um ataque.

Segundo relatos de uma professora à NSC TV, as colegas conseguiram esconder uma parte das crianças no fraldário e trancaram as outras salas.

O homem teria forçado as portas, mas não conseguiu entrar.

Havia cerca de 30 crianças na creche no momento do ataque.

Segundo o delegado Jerônimo Marçal, a primeira a ser atacada foi a professora, que encontrou com o homem de 18 anos logo na entrada da escola. Ela teria então corrido para a sala onde estavam quatro crianças, todas menores de dois anos, que também foram atacadas e uma agente educativa, que trabalhava no local naquele momento e também foi morta.

De acordo com a Polícia Militar, ele tentou tirar a própria vida depois do crime.