Um professor da Universidade de Santa Catarina (Udesc), que faz parte do Centro de Ciências Humanas e da Educação (Faed), na unidade do bairro Itacorubi, em Florianópolis, está sendo investigado por suspeita de assédio sexual. A denúncia foi feita por uma aluna que também registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami). Quer receber as notícias do OCP News Florianópolis no WhatsApp? Basta clicar aqui A universidade informou, por meio de nota publicada na tarde desta quarta-feira (21), que encaminhou processo de abertura de sindicância à Procuradoria Geral do Estado e acionou o Ministério Público. Segundo a Secretaria de Comunicação da Udesc, foram constatadas denúncias de outras mulheres que teriam sido vítimas de diferentes tipos de assédio praticados pelo mesmo docente. Segundo o delegado Paulo de Deus, da Dpcami, pelo menos sete vítimas registraram ocorrência na terça-feira (20). Após analisar os depoimentos, o delegado pretende instaurar inquérito para iniciar investigação. “Na sindicância interna, haverá direito à ampla defesa e à manifestação de todas as partes. O processo administrativo fará apuração estritamente dos fatos relacionados à conduta do docente, conforme o Regimento Geral da Udesc e a Lei Estadual Complementar nº 491/2010”, esclareceu a nota. De acordo com a comunicação da universidade, a sindicância tem um prazo legal de 30 dias para ser concluída, podendo ser prorrogada por mais 30. As penalidades institucionais só podem ser aplicadas após a conclusão da apuração. O professor apresentou um atestado de saúde de 30 dias e não compareceu mais à universidade. O nome dele não foi divulgado. O caso ganhou repercussão nas redes sociais após a publicação da nota. Cartazes foram pendurados nas paredes da universidade em protesto às supostas condutas praticadas pelo professor. *Reportagem de Schirlei Alves para o OCP Florianópolis