O Procon de Içara apreendeu nesta segunda-feira, dia 9, no centro da cidade, 62 frascos de perfumes sem nota fiscal, sem identificação de origem, com vidros sujos e líquido duvidoso. O órgão, com apoio da Polícia Militar, fez a abordagem depois de uma denúncia. Os três ambulantes, dois maiores de idade e um menor, não tinham alvará para venda no município. Seguindo o procedimento legal, os fiscalizadores estão aguardando 48h para a retirada dos produtos apreendidos mediante as notas fiscais, entretanto os próprios abordados já comunicaram que não vão retirar os perfumes.

"É a segunda vez no ano que acontece esse tipo de fiscalização. Os produtos não tinham nenhuma condição de venda, todos estavam com os frascos deteriorados, falsificados e com líquido adulterado, muito diferente dos perfumes originais", lembrou o coordenador do Procon Renato Novelli.

A partir das próximas horas os produtos serão descartados em local adequado. "Quando nossos fiscais fizeram a abordagem muitos comerciantes não entenderam, acharam que o Procon estava apenas querendo atrapalhar o trabalho dos ambulantes, mas queremos deixar claro que os produtos eram adulterados e que não existia nenhum alvará junto a prefeitura para comercialização desses frascos", revelou Novelli.

O Procon de Içara apreendeu nesta segunda-feira, dia 9, no centro da cidade, 62 frascos de perfumes sem nota fiscal, sem identificação de origem, com vidros sujos e líquido duvidoso. O órgão, com apoio da Polícia Militar, fez a abordagem depois de uma denúncia. Os três ambulantes, dois maiores de idade e um menor, não tinham alvará para venda no município. Seguindo o procedimento legal, os fiscalizadores estão aguardando 48h para a retirada dos produtos apreendidos mediante as notas fiscais, entretanto os próprios abordados já comunicaram que não vão retirar os perfumes.

"É a segunda vez no ano que acontece esse tipo de fiscalização. Os produtos não tinham nenhuma condição de venda, todos estavam com os frascos deteriorados, falsificados e com líquido adulterado, muito diferente dos perfumes originais", lembrou o coordenador do Procon Renato Novelli.

A partir das próximas horas os produtos serão descartados em local adequado. "Quando nossos fiscais fizeram a abordagem muitos comerciantes não entenderam, acharam que o Procon estava apenas querendo atrapalhar o trabalho dos ambulantes, mas queremos deixar claro que os produtos eram adulterados e que não existia nenhum alvará junto a prefeitura para comercialização desses frascos", revelou Novelli.