O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Criciúma, tem recebido com frequência, denúncias de cidadãos que foram vítimas de um golpe no município. Os estelionatários solicitam dados pessoais e além disso, pedem o cartão físico e buscam na casa da pessoa.

Se passando por funcionários de um banco, os golpistas ligam para confirmar uma compra no cartão da pessoa e para solucionar a situação, eles recomendam uma ligação para o banco. "Eles dizem para a vítima ligar no número que fica atrás do cartão dela, e, quando ela liga, eles interceptam a chamada e se passam por funcionários do banco, pedindo os dados pessoais", destaca o coordenador do Procon de Criciúma, Gustavo Colle. "Eles pedem nome completo, logins, dados do cartão e senhas e além disso pedem que o cartão seja destruído, mantendo somente o chip. Com isso, eles buscam o cartão na casa da pessoa e o utilizam para realizar saques em dinheiro e compras", destaca Gustavo, complementando que "já tinha visto casos como este no ano passado, mas agora eles estão mais comuns".

Para se prevenir de casos como este, o recomendado é que não passar dados pessoais por telefone e que, a pessoa se dirija até o banco presencial, vá ao Procon de Criciúma ou registre um boletim de ocorrência na polícia. "Queremos que as pessoas tenham noção disso, que se previnam e que não caiam mais nesses golpes", relata Gustavo.

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp