Os preparativos da 31ª edição da Schützenfest contaram com a mão de obra de detentos do Presídio Regional de Jaraguá do Sul. Eles atuaram na reforma do Pavilhão A, na construção dos novos banheiros, na fabricação de mesas e bancos e na decoração do Parque de Eventos.

Diariamente, cerca de 20 a 30 presos trabalharam no local entre outubro e novembro deste ano. Pelo trabalho, eles são remunerados e têm suas penas reduzidas, na regra de três dias de trabalho para um de redução.

Para o diretor de Patrimônio da Prefeitura de Jaraguá do Sul, Harysson Andrey Passig, o convênio traz diversos benefícios. “A ociosidade não faz bem a ninguém. Trabalhando, os apenados enxergam uma nova possibilidade, se preparam para quando saírem do presídio. E o trabalho deles também auxilia bastante o Município”, comenta.

Ressocialização

O trabalho como forma de ressocialização dos apenados ocorre há anos no município. Ele é uma parceria entre o Conselho Comunitário Penitenciário, as empresas da cidade e a Prefeitura de Jaraguá do Sul.

A iniciativa é apontada como um dos fatores que influenciam nos baixos índices de violência na cidade, classificada pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) como a mais segura do Estado entre os municípios mais de 100 mil habitantes.

O presídio abriga uma média de 500 presos e cerca de 80% deles realizam alguma atividade, seja trabalho na própria unidade prisional, trabalho externo, estudo ou leitura. Nas obras do Município, eles auxiliam em serviços gerais, limpeza de ruas, pavimentações, roçadas e na fabricação de tubos.

 

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):

Telegram

Facebook Messenger