A Prefeitura de Jaraguá do Sul lançou, na noite da última quinta-feira (17), o edital para credenciamento de empresas prestadoras do serviço de guincho. De acordo com o diretor de Trânsito e Transportes, Irio Riegel, a inscrição das empresas interessadas em oferecer o serviço de remoção de veículos na cidade começa nesta terça-feira (22), dois dias úteis após o lançamento do edital. “Depois do cadastramento das empresas aptas a realizarem o trabalho, do credenciamento dos prestadores de serviço, da sanção da lei do pátio e do contrato de aluguel do terreno do pátio, vamos fazer o cadastramento no Detran. Após o trâmite no órgão, que não tem previsão para terminar, o serviço será oficializado e as blitze e apreensões serão feitas”, comenta Irio Riegel, ao ressaltar que as empresas credenciadas poderão escolher entre as três modalidades de transporte oferecidas. Os prestadores de serviço vão ter que comprovar capacidade técnica através de atestado e que dispõem de um caminhão apropriado para o transporte de veículos. O edital aponta um orçamento de R$ 300 mil para o pagamento do serviço. A verba deve cobrir o transporte de motocicletas (R$ 70), automóveis (R$ 120) e veículos pesados (R$ 250) durante um ano. Quando a remoção for da área rural do município, haverá um acréscimo de R$ 35 ao pagamento. O documento completo pode ser baixado no site da Prefeitura de Jaraguá do Sul, na aba de licitações. Mais de 22 mil veículos irregulares nas ruas O capitão Antonio Benda Rocha, responsável pelo setor de trânsito do 14º Batalhão de Polícia Militar, conta que há mais de 22 mil veículos em situação irregular circulando atualmente em Jaraguá do Sul. Ele revela que as principais infrações são dirigir com a documentação do veículo atrasada ou dirigir sem a carteira de motorista. “O Código de Trânsito Brasileiro diz que o veículo deve ser removido, mas ele acaba sendo deixado em via pública em uma situação de abandono”, descreve, ao ressaltar que o condutor acaba pedindo para outra pessoa pegar ou carro ou ele mesmo indo retirar o automóvel do local. Para a Polícia Militar, o número de veículos irregulares rodando no município é absurdo, pois está em um universo de cerca de aproximadamente 115 mil automóveis. O policial militar explica que o alto índice de acidentes registrados na cidade pode estar diretamente relacionado com os veículos e condutores sem documentação. “Esse percentual de veículos irregulares (entre 15% e 20%) é alto e talvez por isso tenhamos tantos óbitos, de 40 a 60 anualmente”, lamenta o capitão da PM. Segundo o capitão da PM, assim que o serviço de guincho for regularizado e comece a funcionar, vai haver a intensificação da fiscalização de todas as irregularidades no trânsito na cidade. “Assim que o serviço de guincho estiver disponível para a Polícia Militar, o trânsito vai ser efetivamente fiscalizado e o condutor que estiver em desacordo com a lei vai sofrer todas as penalidades que estiverem no Código de Trânsito Brasileiro”, finaliza Benda, ao relatar que há muitos carros rebaixados ou com as características originais alteradas rodando no município.