A Prefeitura Municipal de Indaial emitiu uma nota oficial, por meio da Assessoria de Articulação, Comunicação e Ouvidoria, esclarecendo seu posicionamento em relação à agressão à professora Marcia Friggi, contratada em caráter temporário da rede pública municipal de Educação de Indaial. Marcia, 52 anos, foi agredida a tapas e socos na manhã desta segunda-feira (21) por um aluno de 15 anos a quem chamou atenção por seu comportamento em sala de aula. O aluno, com quem ela estava tendo o primeiro contato, frequentava aula no Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja). Além da agressão física, ele também agrediu a professora e seus colegas com xingamentos. Professora de língua portuguesa e literatura, além do Ceja, Marcia também é servidora estadual em outra escola do município. Gaúcha do município de Mata, no interior do Rio Grande do Sul, ela é ex-bancária e atua no magistério há cerca de dez anos. No momento, uma de suas maiores preocupações é de que sua mãe, de 87 anos, não tenha conhecimento da agressão. O secretário Ozinil Martins de Souza já deu entrevistas refutando a violência em sala de aula e disse que está acompanhando o caso. A assessoria também informa que a família do aluno e o Conselho Tutelar foram chamado até o Ceja. E em função do tipo de agressão, o caso foi encaminhado para a Promotoria da Justiça da Infância e da Adolescência. Em conjunto, entre Secretaria de Educação e Promotoria devem avaliar como deve ser o procedimento em relação ao agressor. A Gerência de Educação (Gered) da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Timbó também divulgou uma nota sobre o caso explicando que a agressão ocorreu no Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja), pertencente à Secretaria Municipal de Educação.   De acordo com a nota, a professora agredida é funcionária efetiva do governo do Estado de Santa Catarina, com 20 horas no período vespertino, e leciona na Escola de Ensino Básico Germano Brandes Júnior, mas também trabalha como ACT no Ceja, onde ocorreu a agressão. A Gered da 34ª ADR de Timbó divulgou ainda que lamenta o ocorrido e vai continuar acompanhando o caso.

Confira o que diz a nota:

Sobre o fato, a Secretaria de Educação de Indaial esclarece:

a) A secretaria repudia qualquer tipo de agressão física ou moral, independentemente da motivação;

b) Após a ocorrência, a direção do Ceja prestou apoio à professora, levando-a para realizar o Boletim de Ocorrência e na sequência receber atendimento médico no Hospital Beatriz Ramos, onde foi medicada e encaminhada a sua residência;

c) A Secretaria de Educação está acompanhando todos os fatos e continuará prestando o apoio necessário para a professora.

LEIA MAIS: - Agredida por aluno de 15 anos, professora avisa que o ódio não vai lhe calar - Professora é agredida a socos por aluno de 15 anos em escola em SC