Foto: Eduardo Montecino/OCP Reportagem de Dyovana Koiwaski para o jornal O Correio do Povo. Cerca de 10 mil consultas ainda devem ser realizadas ao longo do ano nas 25 unidades de saúde de Jaraguá do Sul. Essa demanda de atendimento, considerada dentro da normalidade pelo secretário da Saúde Jonas Schmidt, precisa superar os 30 dias em que o atendimento foi paralisado em virtude da greve. “Os dias sem assistência somados aos feriados prolongados e início da campanha nacional de vacinação contra a gripe resultaram em uma maior procura nos postos de saúde e acúmulo de consultas a serem realizadas”, avalia Schmidt. Em uma visita na manhã de segunda-feira (17) no posto de saúde do bairro Rau, a diretora de Saúde, Niura Demarchi, afirma que identificou um aumento de 50% no movimento da unidade. “Os atendimentos emergenciais continuam sendo prioridade também”, observa Niura. Nestas primeiras semanas de retomada do atendimento, o agendamento está acontecendo por demanda livre. A partir do dia 24, o agendamento por telefone será retomado. O sistema está em fase de aperfeiçoamento. Conforme Schmidt, a prioridade é atender de pacientes com doenças crônicas que já fazem acompanhamento e renovação das receitas médicas. Das consultas que precisam ser feitas, 5.500 pertence apenas à clínica médica. “Estamos reorganizando as filas, agendando consultas que já estavam marcadas e não foram feitas, separando horários para as novas e vendo o que retorno ou não. Somente após essa organização da demanda reprimida será possível planejar novas ações, regularizar a situação e possivelmente, prospectar recursos para investir na área”, considera o secretário.