Jaraguá do Sul figurou novamente entre as cidades mais seguras do Brasil em 2019. A cidade também é considerada a mais segura de Santa Catarina, com uma média de 5,5 mortes a cada 100 mil habitantes. Os dados são do Atlas da Violência e levam em conta números ano de 2017.

O município tinha uma população estimada de 170.835 pessoas naquele ano. O atlas aponta que Jaraguá do Sul registrou oficialmente sete homicídios e outros dois estão ocultos, ou seja, que não foram catalogados nos registros oficiais. No âmbito nacional, o município fica atrás de três cidades paulistas.

Mas, a pergunta que não quer calar é: por que Jaraguá do Sul sempre ocupa o topo da lista? O OCP foi atrás de números daquele ano e consultou autoridades da cidade para encontrar uma resposta concreta para essa pergunta.

Então, vamos aos números! Em 2017, Jaraguá do Sul teve notas acima da média no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Enquanto a média nacional era de 5.8 nas séries iniciais e 4.7 nos anos finais, as escolas jaraguaenses conquistaram 6,4 e 5,4, respectivamente.

Foto: Arquivo OCP News

No quesito desenvolvimento humano, Jaraguá do Sul ocupa o 34º lugar entre os municípios brasileiros. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,803 é considerado muito alto. Para se ter uma ideia, o índice nacional é de 0,755. Os números levam em conta dados de 2010.

Se o quesito é geração de empregos, o município tem outro bom número. No ano de 2017, a cidade gerou 22.291 empregos contra 22.009 demissões, ou seja, teve um saldo positivo de 0,47%. No mesmo ano, o Brasil teve um saldo negativo de 0,05%.

Boa educação

Prefeito diz que índices enchem a comunidade de orgulho | Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Como demonstrado anteriormente, os índices da educação de Jaraguá do Sul estão entre os melhores do Estado e do país.

O prefeito Antídio Lunelli ressalta que esse setor é destaque nacionalmente. Além disso, há investimento na compra de espaços, reforma dos já existentes e fomento à tecnologia.

“Os nossos índices enchem nossa comunidade de orgulho. Recentemente, tivemos alunos da rede municipal participando de convenções internacionais de ciência e matemática, por exemplo, em uma prova clara da dedicação e da qualidade dos nossos professores", aponta o prefeito.

Polícia e comunidade

Comandante do 14º BPM ressalta que a comunidade abraça a Polícia Militar e a PM abraça a comunidade | Foto: Fábio Junkes/OCP News

Além do IDH e da educação, a relação entre as polícias e a comunidade é um dos grandes trunfos de Jaraguá do Sul. O comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, afirma que o povo ordeiro da cidade auxilia no combate à criminalidade.

“Em Jaraguá do Sul, a Polícia Militar tem dois braços: um deles é operacional, com a Radiopatrulha, Rocam, Tático, Canil e Agência de Inteligência; o outro é preventivo: com a Rede de Vizinhos, Rede Escolar, Conselhos de Segurança e Proerd. A comunidade nos abraça e nós abraçamos a comunidade", comenta Reisdorfer.

Resolutividade de homicídios

Em 2019, índice de resolutividade de homicídios foi de 100%, destaca delegado | Foto: Fábio Junkes/OCP News

O número de homicídios a cada 100 mil habitantes é o único fator levado em conta para definir qual é a cidade mais segura do país. Há dois anos, o OCP registrou sete homicídios em Jaraguá do Sul. Desses, seis foram resolvidos, ou seja, um índice de 86%. A taxa nacional não chega a 6%.

“No primeiro semestre de 2019, nós registramos quatro homicídios e tivemos um índice de resolutividade de 100%. Isso acaba causando uma repressão qualificada e que, ao mesmo tempo, previne esse tipo de crime”, frisa o delegado regional Fabiano dos Santos Silveira.

O panorama geral, em números, mostra que há um conjunto de fatores que fazem da cidade a mais segura, fruto do trabalho e dedicação dos jaraguaenses e dos investimentos públicos e privados.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger