A primeira etapa da construção do Ponto de Entrega Voluntária (PEV) deve ser concluída nesta semana. O serviço de terraplanagem foi o pontapé inicial para a obra no terreno localizado próximo à Arena Jaraguá, com mais de quatro mil metros quadrados. Quando for finalizado, o espaço deve receber o descarte de materiais que não têm mais serventia, como eletrônicos, e recicláveis. A previsão de entrega é para o mês de dezembro. A próxima fase, segundo o presidente da Fujama, Normando Zitta Júnior, será a preparação da base para colocação de paver e plantio das cerca de 280 árvores nativas nas margens de um ribeirão. São 30 metros de área que farão parte da recuperação ambiental da região. Um funcionário será responsável por orientar os munícipes que procurarem o local para depositar seus materiais. As caçambas também serão devidamente identificadas. O objetivo é que a gestão do PEV seja feita por uma cooperativa que tenha condições de manter o funcionamento durante o fim de semana. A vigilância será de 24 horas. No espaço, poderão ser depositados móveis velhos, lâmpadas, baterias, pilhas, equipamentos eletrônicos, óleo de cozinha, latas, embalagens vazias e materiais recicláveis. Não serão aceitos restos de materiais de construção, podas de árvores, latas com tintas, embalagens de agrotóxicos e produtos químicos. Júnior destaca que Jaraguá do Sul possui uma grande demanda destes materiais, mas ainda não conta com um ponto de coleta gratuita. “Para não sobrecarregar o PEV logo no início, estamos buscando uma verba de R$ 200 mil para realizar uma edição do programa ‘Aqui Eu Moro, Aqui Eu Cuido’. Nele, basta os moradores deixarem os entulhos em frente à suas residências para o recolhimento”, explica. O presidente também salienta que a coleta pelo programa Recicla CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) é outra forma de reaproveitar os resíduos eletroeletrônicos obsoletos. Ele lembra que os moradores são responsáveis pelo destino das podas de árvores e resíduos da construção civil e que empresas especializadas prestem este serviço na cidade. O investimento aplicado na construção será de R$ 400 mil, recurso oriundo de uma multa, resultante de crime ambiental praticado por uma empresa que entubou um curso d’água ao fazer um loteamento no município. “A autuação da Fujama foi parar no Ministério Público do Meio Ambiente, que aplicou a multa. No entanto, ao invés de recolher o valor, a empresa se comprometeu em entregar a obra do PEV pronta para a Prefeitura”, garante o presidente. O PEV estará localizado na Rua Leocádio Rodrigues no bairro Vila Lenzi, entre as ruas Goiás e Erich Aben, num terreno que pertence à Prefeitura e onde não podem ser feitas grandes edificações por estar na área do antigo lixão do município. Reportagem de Dyovana Koiwaski para o jornal O Correio do Povo