A Polícia Militar recebeu denúncias sobre agressões e abandono de uma criança em uma residência no município de Braço do Norte, Sul do Estado.

Os policiais fizeram rondas próximo ao local e verificaram que a casa estava totalmente fechada. Os militares, ao tentarem contato, foram surpreendidos por uma menina, de oito anos, que estava no interior da casa, chorando e sozinha, pois a mãe trancou todas as saídas do local.

"Nesse sentido, fora necessário arrebentar a porta da casa para socorrê-la e identificá-la. Salienta-se que durante a conversa realizada, a criança informou que fica todos os dias sozinha, das 7h às 18h, bem como vai à escola e tem que preparar sua própria refeição, sem o auxílio dos familiares", relatou a corporação.

As guarnições localizaram uma lista de afazeres para ela realizar durante o dia, tais como: lavar a louça, arrumar a cama, limpar a casa, etc ..., alegando a criança que sofreria castigos caso não cumprisse as tarefas diárias.

"No decorrer da ocorrência, a sua genitora chegou ao local, sendo identificada como E. D. S., de 37 anos. Por conseguinte, os policiais, na presença do Conselho Tutelar, constataram que a criança estava privada de ir ao banheiro, pois fica do lado de fora da casa, tornando-se uma repartição inacessível à ela", constou a PM.

Os policiais, diante do mal estado da menor, compraram comida e disponibilizaram-se a entretê-la até os procedimentos administrativos acabarem. Assim, de forma carinhosa, a criança os retribui com um desenho por todo o serviço prestado.

A mulher foi encaminhada à Delegacia de Polícia Civil de Braço do Norte para lavratura dos procedimentos legais, sendo que a criança estava acompanhada pelos conselheiros tutelares.