Ao completar 183 anos, a Polícia Militar de Santa Catarina recebe mais um grande avanço na Segurança Pública do Estado. Os policiais militares contarão com câmeras portáteis fixadas nos uniformes, o que vai aumentar a transparência das ações dos profissionais e melhorar a proximidade entre o policial e o cidadão. A tecnologia vai monitorar toda a atividade durante uma ocorrência. Para isso, o Governo do Estado e o Tribunal de Justiça firmaram um termo de cooperação para aquisição dos equipamentos. Os recursos da Justiça, de cerca de R$ 6,2 milhões, devem garantir a compra de aproximadamente duas mil câmeras. A previsão é de todas entrarem em operação até o final deste ano em todos os batalhões de polícia. O ato aconteceu nesta sexta-feira (4), no Centro de Ensino da Polícia Militar, em Florianópolis, e foi acompanhado pelo governador Eduardo Pinho Moreira. O termo foi assinado pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rodrigo Collaço,  corregedor-geral da Justiça, Henry Petry Junior, secretário de Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior, e comandante-geral da Polícia Militar, coronel Araújo Gomes. “A iniciativa representa o aperfeiçoamento do exercício de uma atividade importante para Santa Catarina e para o Brasil, que é o trabalho da polícia. O Tribunal de Justiça foi ágil, e é isso que precisamos. Burocracia pública tem que ser superada. Essa parceria vai trazer muito mais qualidade no atendimento e segurança jurídica. Tudo isso proporcionando ao Estado um estágio avançado à frente do combate à criminalidade”, disse o governador ao ressaltar que Santa Catarina está diminuindo consideravelmente os índices de crimes. Conforme Eduardo Pinho Moreira, o resultado é fruto de operações policiais e a ajuda da evolução tecnológica. A tecnologia já está em fase de teste em Santa Catarina. O coronel Araújo Gomes informou que o número de câmeras é suficiente para que ao menos um aparelho seja usado por patrulha em cada turno no Estado. “Serão gravadas todas as interações entre o policial e o cidadão. Vai melhorar a qualidade das provas coletadas nas ações e, ainda, proteger o policial contra falsas acusações que acabam comprometendo as prisões”, relatou. “Nos sentimos honrados em contribuir com o Estado. Essa tecnologia vai garantir uma proteção maior para os policiais e para quem é abordado. E, futuramente, quando o juiz for analisar a prova também. Ganham todos, pois teremos processos judiciais amparados em uma prova muito importante, que é o momento do fato”, apontou o presidente do Tribunal de Justiça. O coronel Araújo Gomes informou que, em todas as cidades, o policial grava ao longo do serviço as ocorrências, fazendo ele mesmo o acionamento do equipamento. As imagens serão encaminhadas a um servidor central e ficam acessíveis para polícia e para requisições do Judiciário e do Ministério Público. “É mais uma grande conquista e um avanço muito importante para a Segurança Pública”, afirmou o secretário de Segurança Pública. O governador do Estado de Rondônia, Daniel Pereira, acompanhou o ato. Salientou que Rondônia executa alguns projetos desenvolvidos por Santa Catarina, e citou como exemplo o PMSC Mobile. “Viemos buscar junto ao governo catarinense o sistema de administração de pessoal. SC vem fazendo um trabalho para se tornar o melhor estado em termos de tecnologia, não só do Brasil, mas de toda América Latina, se equiparando com potencial como dos Estados Unidos. E nós temos feito boas cópias do que é feito aqui. Com certeza, na próxima semana já estaremos batendo à porta do Judiciário para implantar este modelo de câmeras”, destacou.