A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) investiga se um homem acusado de matar, mutilar, carbonizar e beber o sangue de um amigo fez outras vítimas na capital federal. O criminoso trabalha com materiais recicláveis e morava junto com Antônio Carlos Pires de Lima, 33 anos, que morreu, nessa sexta-feira (8), durante ritual macabro na região de Samambaia Norte.

As informações são do Metrópoles e do Correio Braziliense

O nome do suspeito não foi revelado, já o da vítima seria Antônio Carlos Pires de Lima, 33, segundo informações do jornal Correio Braziliense. Ele seria amigo do homem suspeito.

No dia do assassinato, o acusado usou uma capa e cartola. Ao finalizar o ritual macabro, o acusado, que foi preso, afirmou ter ouvido chamado para ir ao “monte”, local onde religiosos fazem orações. Ele adormeceu no local, foi acordado e detido pelos policiais.

O suspeito mantinha rotina nada convencional. Costumava fazer desenhos de imagens demoníacas, colecionava objetos que remetem à morte e, segundo moradores, apresentava comportamentos estranhos.

Informações levadas à 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia) apontam que o suspeito tinha costume de andar com a capa preta e vermelha. O homem também já havia cortado o pescoço de um pato para beber o sangue do animal.

Ele se intitulava como sendo “Cabal: o completo, o rigoroso, o absoluto”.

Segundo investigadores, ele andava com um crânio sintético dentro de um tigela, onde colocou o sangue da vítima, misturado com o dele e bebeu, logo após o crime, cometido na casa em que morava com Antônio Lima. No local havia desenhos de um demônio, junto ao número 666 e ainda um cartaz de uma série de terror.

Os policiais localizaram também os restos mortais da vítima: um fragmento da coluna vertebral e o fêmur carbonizados. O indiciado será apresentado à audiência de custódia.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre segurança pública da região (acidentes de trânsito, ações policiais):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança