Polícia investiga suposto caso de assédio a alunas em escola de Guaramirim
Polícia investiga suposto caso de assédio a alunas em escola de Guaramirim
A Polícia Civil investiga um suposto caso de assédio na Escola de Educação Básica Prefeito Lauro Zimmermann, em Guaramirim. Um professor da unidade foi acusado de passar cantadas em alunas do ensino médio da unidade escolar. O delegado Augusto Brandão, que investiga o caso, explica que a mãe de uma das adolescentes procurou a delegacia e denunciou o caso. O delegado ainda não sabe quantas garotas podem estar envolvidas no caso.
Brandão afirma que já ouviu duas jovens de 16 anos e que outros depoimentos estão agendados para a próxima semana. Segundo o relato das adolescentes ao delegado, as cantadas feitas pelo professor eram feitas pessoalmente. A investigação aponta que os possíveis assédios eram cometidos dentro e fora do ambiente escolar. “Vou realizar as oitivas marcadas para a semana que vem e só depois eu vou ouvir o suspeito”, conta.
A reportagem do jornal O Correio do Povo entrou em contato com a escola para buscar mais informações sobre o ocorrido. Um funcionário explicou que o professor suspeito de cometer os assédios está com uma licença de saúde. Os casos foram denunciados há pelo menos três semanas e a escola registrou depoimentos das alunas, de pais e do professor em atas de reuniões. A direção da escola ficou sabendo dos casos há pelo menos três semanas.
Em nota, a Gerência de Educação da Agência de Desenvolvimento Regional informou que recebeu as atas na tarde desta sexta-feira (23). A gerente de Educação, Cristiana Poltronieri Ziehlsdorff, explica que a Gered teve conhecimento do caso há duas semanas. Os documentos e o boletim de ocorrência vão servir para dar andamento nos procedimentos administrativos a serem tomados após a conclusão do inquérito.
O Conselho Tutelar não está acompanhando o caso. De acordo com informações repassadas pela assessoria de imprensa da Prefeitura de Guaramirim, o órgão informou que não foi contatado sobre o caso e que o encaminhamento do caso para a autoridade policial já foi feito, ou seja, vai acompanhar as investigações apenas se acompanhamento do caso for requisitado pela Polícia Civil.