Nesta quarta-feira (30), a Polícia Civil concluiu a investigação sobre um incêndio ocorrido no dia 28 de março que resultou na morte de uma mulher de 22 anos, em Descanso, no Oeste de Santa Catarina.

Na época, o cunhado da vítima, um homem de 24 anos, foi preso em flagrante no mesmo dia do crime por ter prestado declarações falsas na Delegacia de Polícia.

As investigações concluíram que o fogo foi causado propositalmente com a utilização de gasolina. O indiciado, cunhado da vítima, confessou parcialmente a prática do crime.

No local, ele a agrediu até deixá-la desacordada. Ele relatou que acreditando que ela estava morta, ateou fogo no seu corpo e na casa. Também alegou que estava sob efeito de drogas e não soube explicar qual a razão que o motivou a realizar o crime.

O laudo pericial confirmou que a vítima aspirou fumaça, o que confirmou que ela estava viva no momento do incêndio. Desta forma, o homem, que permanece preso, foi indiciado por feminicídio e as qualificadores do motivo fútil, do fogo e do recurso que dificultou a defesa da vítima.