A Polícia Civil, por intermédio da 1ª DP de Florianópolis, concluiu a primeira parte da investigação que apura ameaças supostamente sofridas pelo vereador Vanderlei Farias (PDT), o Lela, de Florianópolis, segundo denúncia do parlamentar registrada em boletim de ocorrência.

Na tarde desta quarta-feira (27), a delegada Eliane Chaves, diretora de Polícia da Grande Florianópolis, e a delegada Aline Hermes Zandonai, da 1ª DP de Florianópolis, e responsável pelo inquérito, relataram o andamento das investigações.

Delegadas Aline Hermes Zandonai (E.) e Eliane Chaves detalharam o inquérito | Foto Divulgação

“Identificamos o responsável pela colocação do rastreador no veículo e no interrogatório ele admitiu ser o responsável pela instalação do dispositivo no carro”, disse a delegada Aline, ressaltando que isso ainda será devidamente apurado com coleta de provas.

Em depoimento disse ser detetive particular e é ele que aparece nas imagens das câmeras de videomonitoramento no momento em que estaria retirando o rastreador do carro.

O responsável pela instalação do rastreador não manifestou em depoimento, por sigilo profissional, se foi contratado para realizar o procedimento. “Essa situação, no entanto, será apurada na sequência do inquérito, para chegarmos às demais autorias e real motivação”, ressalta a delegada Aline.

A segunda parte da investigação fará análise das provas anexadas aos autos, entre elas os laudos periciais, que foram enviados nesta quarta-feira à 1ª DP, além de outras que já foram requisitadas e estão sendo encaminhadas à Polícia Civil.

Quer receber as notícias no WhatsApp?