A Polícia Federal continua a investigar a Peccin Agroindustrial, um dos alvos da Operação Carne Fraca, deflagrada na última sexta-feira (17). Nesta segunda-feira (20), fiscais foram até a fábrica localizada no bairro Santa Luzia, em Jaraguá do Sul, para realizar uma auditoria. As atividades da empresa foram suspensas. Normélio Peccin Filho estava no local no momento em que os agentes da Polícia Federal foram até a fábrica. Normélio foi preso e levado pelos policiais federais para Joinville. O empresário deve ser transferido para a superintendência da Polícia Federal em Curitiba nos próximos dias. SAIBA MAIS:  Diálogo entre sócios confirma irregularidades no frigorífico em Jaraguá do Sul Dono de frigorífico é preso pela Polícia Federal em Jaraguá do SulDono da rede Madero diz estar orgulhoso por contribuir com a operação da PF A Peccin Agro Industrial publicou uma nota sobre a operação Carne Fraca. No comunicado, o frigorífico classifica como falsas as acusações. A empresa explica que está à disposição das autoridades policiais e vai contribuir com as investigações. Confira a nota na íntegra: “A PECCIN AGRO INDUSTRIAL LTDA. vem a público comunicar, em razão da operação Carne Fraca, da Polícia Federal, realizada ontem, dia 17 de março, sua grande surpresa, consternação e forte repúdio as falsas alegações que culminaram com a prisão preventiva de seus diretores, esclarecendo o seguinte:
  1. A PECCIN AGRO INDUSTRIAL LTDA. tem amplo interesse em contribuir com as investigações, em busca da verdade, estando inteiramente à disposição das autoridades policiais para prestar quaisquer esclarecimentos que se façam necessários;
  2. A PECCIN AGRO INDUSTRIAL LTDA. declara que estão confiantes de que os órgãos competentes saberão discernir a efetiva veracidade dos fatos que ora se alegam, ainda, conclama pela paciência e serenidade da sociedade para o esclarecimento dos fatos verdadeiros;
  3. Por isso a PECCIN AGRO INDUSTRIAL LTDA. lamenta a divulgação precipitada de inverdades sobre o seu sistema de produção, sendo que as informações repassadas ao grande público foram no afã de justificar os motivos da operação “Carne Fraca”, modificando os fatos e comprometendo a verdade.
  4. Por fim a PECCIN AGRO INDUSTRIAL LTDA., esclarece que que não tem qualquer vínculo comercial ou societário com a Peccin S/A, indústria gaúcha de doces e chocolates.”