A obtenção fraudulenta, por despachantes com atuação no Exército, de Certificado de Registro (CR) para atiradores e caçadores é alvo da Operação Registro Armado, da Polícia Federal, nesta sexta-feira (23).

Na ação, cerca de 30 policiais federais cumpriram cinco mandados judiciais de busca e apreensão em Goiânia, expedidos pela 11ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado de Goiás.

“A presente etapa da operação busca localizar, nos endereços de cumprimento dos mandados, computadores, celulares e documentos, que servirão de provas durantes as investigações”, informou a PF.

O grupo investigado poderá responder pelos crimes de uso de documentos falsos, além de formação de quadrilha, cujas penas somadas podem alcançar 13 anos de prisão.

O nome da operação é alusivo às atividades desempenhadas por despachantes de arma na obtenção de CR para atiradores e caçadores, com o uso de documentos falsos, levando a erro o Exército Brasileiro.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre segurança pública da região:

Grupo OCP Segurança