Enquanto em Jaraguá do Sul não foi registrada nenhuma adversidade durante a passagem da tocha olímpica pela cidade, um dia antes, em Blumenau, a situação foi um pouco diferente e só não evoluiu graças ao trabalho de inteligência dos policias do 10° Batalhão. Em um trabalho de identificação de possíveis autores de atentados contra o evento da passagem da tocha, os policiais conseguiram um levantamento de fotos de possíveis agentes que poderiam cometer atos contra a mesma e ficaram atentos a eles. Devido a esse levantamento da Agência de Inteligência, que os policiais a paisana no evento identicaram um desses agentes e uma equipe da Rocam realizou a abordagem do mesmo. O homem estava de posse de uma sacola plástica com três balões de festa cheios de água que seriam usados para arremessar na tocha. Com o abordado, também estava uma mulher com uma mochila e no interior mais alguns balões cheios de água e alguns vazios. Foi lavrado um boletim de ocorrência e apreendido o material, O monitoramento dos dois foi mantido até o final do evento.   RELEMBRE O primeiro caso de tentativa de apagar o fogo olímpico no Brasil ocorreu em Maracaju, no Mato Grosso do Sul. Na ocasião, um rapaz de 27 anos se aproximou dos condutores e tentou apagar a tocha à distância, com um balde d'água. Ele conseguiu fugir mas, com ajuda de testemunhas, a polícia identificou o rapaz e o prendeu em sua casa.