A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Polícia do Município de Pescaria Brava, cumpriu dois mandados de busca em residências para apurar eventual crime de estelionato contra a administração pública, nesta quinta-feira (30).

Durante as buscas foi encontrada uma quantidade de medicamento (lidocaína) e sondas, aparentemente incompatível com as necessidades de um dos investigados, que é uma pessoa com deficiência física.

O investigado e a esposa não apresentaram de pronto receituários ou requisições médicas relacionadas aos medicamentos e sondas encontradas.

Todavia, foi deixada a quantia que alegaram ser suficiente para assistir ao investigado pelo interstício mínimo de um mês.

Segundo eles, seria o intervalo em que conseguem receber os medicamentos e as sondas da Prefeitura de Pescaria Brava e do Estado de Santa Catarina.

O restante do material foi apreendido para apuração de sua origem através de inquérito policial que está sendo instaurado.

“Ressaltamos que a retirada indevida de medicamentos e instrumentos de saúde, concedidos gratuitamente pelos poderes públicos, além de lesar o sistema de saúde, causar prejuízos ao erário e prejudicar outras pessoas que deles necessitem, pode configurar o crime de estelionato contra a Administração Pública, além de outros que podem estar correlatos”, esclarece o delegado William Testoni Batisti, coordenador da investigação.

A operação contou com a participação de policiais civis das delegacias: da Comarca, Município de Pescaria Brava, Divisão de Investigação Criminal (DIC) e de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de Laguna.