A Polícia Civil investiga o caso de encontro de cadáver ocorrido em Guaramirim, no fim da tarde de terça-feira (13). O delegado que preside o inquérito, Augusto Melo Brandão, afirmou que aguarda a identificação do corpo, mas já trata o caso como homicídio. Segundo ele, a partir das informações sobre a identidade da vítima é que serão iniciadas as diligências para a coleta de provas e de depoimentos sobre o crime. Brandão ressalta que o local onde a vítima foi encontrada, no rio Itapocu, no bairro Avaí, é um dos pontos conhecidos pelos usuários de drogas da região. Apesar de ainda precisar saber quem é a vítima, o delegado apontou que essa pode ser uma das linhas de investigação utilizadas futuramente pela Polícia Civil, pois corpo foi encontrado boiando na margem do rio. O cadáver está no Instituto Médico Legal de Jaraguá do Sul. Os peritos ainda realizam os exames cadavéricos, mas divulgou as características da vítima. O homem aparenta ter 30 anos, estava usando camisa gola polo de cor branca com listras roxas, bermuda jeans azul e tênis preto da marca Asics. De acordo com as informações do IML, ele tem 1,75 metro, pele branca e estava com um cordão com uma cruz preta e uma pomba. Crianças encontraram cadáver Duas crianças foram as primeiras pessoas a avistarem o corpo boiando no rio. Elas foram até o posto da Polícia Rodoviária Federal e contaram para os agentes o que havia acontecido. Os policiais rodoviários federais ligaram para os bombeiros voluntários às 16h42 para informar o ocorrido. Os socorristas foram até o local e, diante do cadáver, chamaram o Instituto Geral de Perícias. O corpo estava nas proximidades da margem do rio e estava coberto de barro. A suspeita é de que ele estivesse ali há pelo menos 24 horas. O homem estava com as mãos e braços amarrados. A corda utilizada na imobilização também passava pelo pescoço. A causa mais provável é de que ele tenha sido jogado na água e se afogou.