O delegado Ari José Soto Riva, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Criciúma, instaurou nessa quinta-feira inquérito policial para apurar o acidente de trânsito que vitimou uma ciclista na manhã de quarta-feira, no bairro Santa Luzia.

Clara Inês de Andrade, de 41 anos, deslocava-se para o trabalho quando foi atingida por um ônibus. Ela deixou seis filhos.

A mulher foi a quarta ciclista vítima de acidente de trânsito em Criciúma, em pouco mais de quatro meses. A fatalidade gerou protestos, em duas ocasiões, por parte dos ciclistas, que pedem mais ciclovias, melhoria na mobilidade urbana e respeito no trânsito.

Perícias e testemunhas

Segundo a autoridade policial, as perícias já foram requisitas e, até o momento, duas testemunhas intimadas: uma delas estava dentro do ônibus e outra testemunhou o acidente da rua.

"Já ouvimos algumas pessoas informalmente, mas formalmente não. São duas testemunhas de momento, que já foram devidamente intimadas, mas podem surgir mais no curso do inquérito. O motorista será ouvido em outro momento. Pretendo encerrá-lo (o inquérito) no prazo previsto de 30 dias. O que poderá atrasar são os laudos e até por conta da questão da pandemia, como também alguma coisa nova que venha a surgir", explicou.

No local

Segundo informações divulgadas pela Polícia Militar logo em seguida ao acidente, no local foi constatado que o ônibus, da empresa Expresso Coletivo Forquilhinha, ao sair da Rua da Paz e fazer a conversão para a Avenida Universitária, colidiu contra a vítima, que estava de bicicleta. Ela transitava em direção ao bairro São Sebastião.

Quando a guarnição chegou ao local, a mulher já estava sem vida.

 

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp