Polícia Civil indicia homem que matou mulher grávida e namorado em acidente

Foto: Reprodução Redes Sociais

Por: Claudio Costa

30/05/2024 - 11:05 - Atualizada em: 30/05/2024 - 11:22

A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu o inquérito instaurado para apurar a conduta de um homem, de 50 anos, envolvido na morte de duas pessoas durante a colisão entre uma caminhonete e uma moto. O caso foi registrado no último dia 17 de maio, na BR-116, em Inhapim, no Vale do Rio Doce.

Luana Aparecida Machado Rabelo, de 21, que estava grávida de quatro meses, e o namorado, Iran Garcia Ferreira, de 22 anos, estavam na motocicleta.

Com base nas investigações, o homem foi indiciado por dois crimes de homicídio doloso, qualificado pelo emprego de recurso que impossibilitou a defesa das vítimas e provocação de perigo comum, além de embriaguez ao volante e fuga de local de acidente, estes dois últimos previstos no Código de Trânsito Brasileiro.

As investigações demonstraram que o investigado dirigia ininterruptamente há quase um mês, estando, portanto, física e mentalmente cansado e, por consequência, inapto para dirigir no dia dos fatos.

Segundo o delegado Guilherme Lincoln Rocha Pereira, “o conjunto formado embriaguez, direção na contramão da direção, fadiga provocada pelas viagens ininterruptas há quase um mês e excesso de velocidade, demonstrou que o investigado assumiu o risco de matar as vítimas, atuando com dolo eventual”.

Conduta criminosa

Conforme apurado, o investigado conduzia o carro em alta velocidade quando atropelou e matou dois jovens, uma mulher de 21 anos (grávida de 4 meses) e um homem, de 22. O casal estava em uma motocicleta, seguindo no sentido contrário da rodovia, quando foi atingido. Devido ao forte impacto, as vítimas morreram no local.

O veículo conduzido pelo investigado parou a 380 metros do local da colisão, por conta da impossibilidade de condução por parte do homem, tendo em vista o acionamento dos airbags e completa destruição de uma das rodas dianteiras.

Condução perigosa

De acordo com as investigações, no dia do ocorrido, o suspeito teria consumido cerveja, entre 5h e 9h da manhã, quando estava como passageiro em um ônibus que saiu do Rio de Janeiro com destino ao município de Manhuaçu, onde assumiu a condução da caminhonete envolvida na colisão.

Por volta de 12h, o homem parou em um restaurante, às margens da BR-116, em Ubaporanga, local onde novamente teria ingerido bebida alcoólica, dessa vez, uma dose de cachaça. As atividades do suspeito no estabelecimento foram captadas por câmeras de monitoramento e confirmada por testemunhas.

Após almoçar, o homem assumiu a condução do veículo e seguiu viagem na mesma rodovia. Segundo o investigado, durante uma ultrapassagem, ele teria cochilado na direção da caminhonete, momento em que colidiu frontalmente com a motocicleta em que estavam as vítimas.

Prisão

À época dos fatos, o suspeito foi preso em flagrante pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). O etilômetro acusou 1,41mg/L, índice quatro vezes superior ao limite de tolerância para a não configuração do crime autônomo de dirigir alcoolizado.

Notícias no celular

Whatsapp

Claudio Costa

Jornalista pós-graduado em investigação criminal e psicologia forense e pós-graduando em perícia criminal.