Um dos autores da agressão contra torcedores da Chapecoense prestou declarações à Polícia Civil na tarde desta terça-feira. O caso é investigado pela 1ª Delegacia da Próspera. Foi instaurado um Termo Circunstanciado para apurar os crimes de lesão corporal e dano. A pessoa que já foi identificada é um homem de 23 anos. Ele confessou sua participação na investida criminosa.

O fato aconteceu em 25 de setembro, quando os dois times jogaram pela Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol. Por volta das 16h30min daquele dia, cerca de 20 integrantes de uma torcida organizada do Criciúma Esporte Clube avançaram em direção ao portão dos visitantes no Estádio Heriberto Hülse e atacaram os torcedores vindos de Chapecó em uma van. A principal vítima foi um idoso de 68 anos. Ele foi encurralado, derrubado ao chão, agredido e teve o boné e a bandeira de seu time levada pelos autores.

De acordo com o delegado Jorge Ghiraldo, a investigação está focada em identificar outros integrantes do grupo que cometeu tais crimes.

“A Polícia Civil não vai permitir que as partidas de futebol em Criciúma virem arenas romanas em que pessoas eram lá jogadas para serem apedrejadas”, alertou a autoridade policial.

O delegado é enfático na afirmação, pois considera nela o fato de que, no mês de agosto, outro torcedor do time de futebol da cidade foi indiciado em Inquérito Policial pelo crime de injúria racial por preconceito.

Naquele primeiro caso envolvendo também torcedores de futebol de Criciúma, o autor de 33 anos ofendeu um jogador da equipe da Ponte Preta, que estava em aquecimento na lateral do campo. A vítima ainda foi alvo do arremesso de copos de cerveja. Este fato ocorreu no jogo de 15 de julho, também no estádio Heriberto Hülse.

Reprodução SportTV

Ao ser interrogado no procedimento de polícia judiciária, o indiciado reservou-se ao direito de permanecer em silêncio e só se manifestar em juízo, porém outras provas e testemunhas confirmaram a autoria.