A Divisão Especializada de Combate ao Narcotráfico da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DENARC/DEIC) fechou, na tarde desta segunda-feira (18), o maior laboratório de skunk e cultivo de maconha em Florianópolis. Dois homens, de 38 e 42 anos, foram presos em flagrante durante a operação. Após um mês de investigação, policiais civis abordaram duas residências localizadas nos bairros Rio Tavares e Morro das Pedras. As diligências resultaram na apreensão de centenas de pés de maconha, vários pacotes de skunk, haxixe e óleo de maconha prontos para comercialização, R$13.318 em espécie, insumos, fertilizantes, termômetros, lâmpadas e maquinário utilizados no cultivo e manipulação laboratorial de entorpecentes. Também foram apreendidos uma Ford Ranger, um Volkswagen Fox, uma Yamaha XT660 e um Chevrolet Celta. As duas residências possuíam sistema de câmeras, a fim de monitorar chegada e movimentação policial. Além disso, foram localizadas diversas gravações de vídeos realizados pelos presos sobre o cultivo de maconha e ainda manipulação laboratorial dos entorpecentes apreendidos. Os dois homens presos são aturais de Campinas, sendo que o primeiro apresentava mandado de prisão em aberto pela prática do crime de tráfico de drogas, resultante de prisão realizada pela DISE (Delegacia de Investigação Sobre Entorpecentes) da Polícia Civil de São Paulo. Os investigadores apuraram que a residência situada no bairro Rio Tavares era utilizada para armazenagem e venda de entorpecentes. Na casa localizada no Morro das Pedras eram feitos o cultivo de maconha e a manipulação laboratorial do skunk, haxixe e óleo de maconha. Os dois presos foram conduzidos até a sede da DEIC, onde foram autuados em flagrante pela prática dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.